O novo Galaxy S4 da Samsung


A Samsung apresentou esta quinta-feira à noite, em Nova Iorque, o sucessor do Galaxy SIII. Mais que inteligente, o Samsung Galaxy S4 é um telemóvel que transpira inovação e criatividade, algo a que a gigante sul-coreana com os seus produtos já nos tem habituado. Tem um espectacular ecrã Full HD de 5 polegadas, uma poderosa câmara de 13 megapixeis e uma série de caprichos interessantes.

Fisicamente é muito parecido com o Galaxy S III, mas, se olharmos bem, tem um ecrã maior e mais nítido, a bateria dura mais, é mais leve e mais fino, a câmara tem mais pixeis, suporta 4G e tem mais memória e o processador é mais rápido.

Vamos a números, o novo Galaxy S 4 tem um ecrã de 5 polegadas, com uma resolução Full HD de 1920×1080 pixeis, o que representa uma densidade 441 dpi. É, por isso, um ecrã incrivelmente nítido, superando neste aspecto a maior parte da concorrência. O ecrã pode ser maior (dado que tem mais polegadas) que o do S III (4,8 polegadas), mas o telemóvel em si tem o mesmo tamanho é praticamente o mesmo: 69,8 milímetros de largura e 136,6 milímetros de altura. É, sim, mais leve e menos espesso: pesa 130 gramas e tem 7,9 milímetros de espessura.

O processador é 1.9 GHz Quad-Core Processor ou 1.6 GHz Octa-Core Processor, dependendo da região (a Samsung costuma diferenciar as características de região para região). Relativamente a câmaras, tem uma traseira de 13 megapixeis e uma frontal de 2 megapixeis. Tal como o seu antecessor, suposta 4G LTE. Vem com 16, 32 ou 64 gigas de armazenamento interno e uma porta microSD para expansão de memória.

O Galaxy S 4 chega ao mercado em branco e em preto  no final de Abril em vários países do Mundo. O preço não é ainda conhecido, mas deve rondar os 500-700 euros (preço do Galaxy S III, que deverá ficar mais barato). O novo “brinquedo” corre uma versão melhorada do Android 4.2 Jelly Bean. Melhorada porque, ao estilo da Samsung, incluí uma série de funcionalidades interessantes.

Comecemos pela câmara. Com o Dual Camera, podemos usar simultaneamente as câmaras frontais e traseiras. No fundo, são tiradas duas fotografias em simultâneo, uma com cada uma das câmaras; essas duas fotografias são depois combinadas numa só. Existem vários efeitos disponíveis e oito formas diferentes de combinar as duas fotografias. Normalmente, por a câmara frontal estar virada para o fotógrafo, é este que aparece na fotografia tirada com essa câmara; o Dual Camera permite, pois, acabar com o drama do fotógrafo fora dos registos fotográficos.

O Drama Shot permite combinar uma série de fotografias de um movimento numa só. Imagine-se, por exemplo, uma criança a bailar. Ela faz uma série de movimentos sequenciais. Com o Drama Shot é possível fotografar cada um desses movimentos isoladamente e depois combiná-los num só. E se as fotografias tivessem som? É para isso mesmo que serve o Sound & Shot. Enquanto tiramos uma fotografia, é frequente gritarmos algo; com o Sound & Shot é possível juntar um grito num meio de um concerto a uma fotografia nossa no mesmo, por exemplo.

Story Album organiza as fotografias em álbuns, de acordo com a data em que foram tiradas, o local onde foram tiradas e/ou o contexto em que foram tiradas. O Dual Video Call permite fazer e receber chamadas de vídeos com recurso às duas câmaras do Galaxy S 4: a câmara frontal mostra a nossa cara; a câmara traseira mostra aquilo que estamos a ver ou que simplesmente queremos mostrar.

Uma outra funcionalidade muito interessante é o Group Play, que permite partilhar música, fotografias, documentos e jogos entre vários Galaxy S 4 sem qualquer conexão à internet ou ligação à rede móvel. O Share Music, uma das opções do Group Play, torna possível ter uma mesma música a tocar em vários dispositivos em simultâneo.

O S Translator consegue entender o que um estrangeiro diz e traduzir as palavras deste para português. Com o S Translator, é ainda possível traduzir e-mails, SMS e conversas chat. E por falar em voz, o S Voice Drive permite controlar o telemóvel com a voz enquanto se conduz. Uma vez conectado ao carro por Bluetooth, o Galaxy S 4 entra automaticamente em modo condução e lê-nos em voz alta as mensagens que recebemos, por exemplo, sem que tenhamos de olhar para o ecrã.

O Samsung Smart Pause sabe quando estamos a olhar para o Galaxy S 4 ou não. Por exemplo, se estivermos a ver um vídeo e olharmos, entretanto, para uma miúda gira que esteja a passar na rua naquele momento, o vídeo pausa; quando olharmos de novo para o vídeo, este recomeça. O Samsung Smart Scroll faz algo semelhante mas com a leitura do e-mail ou a navegação no browser: reconhece quando estamos a olhar para o topo ou o fundo de um e-mail ou de uma página de web, fazendo scroll up ou scroll down sem que tenhamos de tocar no ecrã.

Com o Air View, basta ter os dedos em cima de um conteúdo (por exemplo, um e-mail, um vídeo ou uma fotografia) para obtermos uma pré-visualização do mesmo, sem abrir esse conteúdo (não é preciso o toque). O Air Gesture permite mudar uma música, fazer scroll up ou scroll down numa página web ou aceitar uma chamada com um aceno da mão.

Por último, o S Heath é uma app que reúne toda a nossa informação médica, monitorizando automaticamente tudo aquilo que acontece connosco ao nível da saúde: exercício diário, dormir, alimentação, etc.

Olhando para tudo o que foi dito anteriormente, o novo Galaxy S4 introduz aspectos em termos de software muito interessantes (andará a Apple a dormir?), mas ao nível do hardware pouco mudou comparativamente ao SIII. E vejamos: conseguimos viver sem as funcionalidades em cima descritas, não conseguimos? Pois… Ainda assim, este Galaxy S4 surpreendeu-me pela inovação que trouxe e que à qual a Samsung já nos tem habituado.