LG ressuscita webOS, transforma-o em sistema operativo para TVs


 
O Shifter precisa de dinheiro para sobreviver.
Se achas importante o que fazemos, contribui aqui.

Há 5 anos, o webOS alimentava os telemóveis da Palm e, mais tarde, os tablets da HP. Mas as coisas nunca correram bem para este sistema operativo. Em Fevereiro de 2013, a LG comprou o webOS e transformou-o num sistema operativo para smart TVs.

As coisas nunca correram bem para o webOS. Entre o lançamento no CES em 2009 e o relançamento este ano no CES nas TVs da LG, existe toda uma história de ambições falhadas e de produtos nunca lançados.

Quando a LG comprou o webOS em Fevereiro do ano passado, surgiram de imediato duas perguntas: o que é que a LG queria fazer com um sistema operativo para aparelhos móveis, e por que motivo ela precisava dele para fazer isso?

Agora já temos a resposta. O webOS é agora uma flexível e interessante plataforma para a TV, que tem por detrás uma nova visão sobre como uma smart TV deve funcionar. Mais de metade das TVs da LG funcionarão em breve com o webOS, pelo que é uma grande aposta que a fabricante está a fazer.

lgwebos

O menu principal do webOS aparece na TV sobreposto ao que estamos a ver, não nos obriga a ir para um ecrã com uma lista de apps. Numa linha, aparecem as nossas apps favoritas, como o Hulu Plus, o Netflix, o YouTube, o Skype, o Facebook, o Twitter e outras. Existe ainda a LG Store para comprar e descarregar novas apps, o browser de Internet e o Today, uma app que nos recomenda conteúdo. A última app que utilizámos aparece destacada no lado esquerdo.

Uma das diferenças principais do webOS relativamente às outras smart TVs é que a LG não distingue as apps dos canais de televisão, nem tão pouco da Xbox, por exemplo. São todos cartões que aparecem no mesmo menu. Se estamos a ver um vídeo no Netflix e queremos ver o que está a acontecer num jogo e depois voltar ao YouTube, deveremos encontrar uma experiência uniforme e coerente.

A navegação no webOS é feita a partir de um comando de controlo remoto, daqueles que captam o movimento e fazem mexer um cursor no ecrã (estilo Wii).

A partir do menu, podemos navegar para a esquerda, isto é, para o passado: as últimas apps que usámos e os últimos canais que vimos. Ou para a direita, onde estão todas as apps instaladas. O webOS inclui ainda um sistema de notificações para as apps nos alertarem de novos episódios, por exemplo.

Para encorajar as pessoas a fazerem a configuração da smart TV (normalmente não a fazer, por ser uma tarefa aborrecida e trabalhosa), a LG criou um assistente, chamado Bean Bird. Sim, é um pássaro.

Se não conseguirmos aumentar o número de patronos, a 2ª edição da revista será a última, e o Shifter como o conheces terminará no final de Dezembro. O teu apoio é fundamental!