Mais um ano, mais um Crash The Super Bowl da Doritos


 
O Shifter precisa de dinheiro para sobreviver.
Se achas importante o que fazemos, contribui aqui.

Mais um ano de Super Bowl, mais um ano do concurso Crash The Super Bowl, realizado pela Doritos. Os vencedores da edição deste ano – aberta a todo o Mundo – já estão escolhidos e mais uma vez os resultados não desapontam.

Antes de se passar à opinião sobre os anúncios é melhor explicar-se a mecânica de todo o concurso. Afinal, o que leva milhares de pessoas a candidatarem-se a um concurso destes? Não só pelos prémios avultados, mas também pela notoriedade, visto que em causa está uma aparição no intervalo publicitário mais mediático do Mundo, o intervalo do Super Bowl.

O concurso criado pela Frito-Lay surgiu no final de 2006, em parceria com a agênciaGoodby, Silverstein & Partners. Aos realizadores dos cinco vídeos finalistas da primeira edição foram dados 10 000 dólares e duas viagens pagas para ver a final do Super Bowl em 2007. Esta medida audaz teve um enorme sucesso e apenas na primeira edição foram 1 065 o número de anúncios inscritos a concurso.

Nesta décima edição do concurso, deixou de existir obrigatoriedade dos participantes viverem em solo americano, e agora qualquer pessoa pode participar. Segundo a CMO da Frito-Lay, Ann Mukherjee, “conteúdo incrível não tem limites geográficos”, numa clara intenção de aproveitar a notoriedade do concurso ao máximo.

Esta edição conta mesmo com representantes de 30 países, que lutam pelo grande prémio de um milhão de dólares e ainda a possibilidade de trabalhar no filme TheAvengers: Age of Ultron. É de realçar que existem dois vencedores: um definido por um júri da Doritos e outro pelos fãs da marca, através do site da Doritos. A votação para definir o vencedor terminou no passado dia 29 de Janeiro.

Os vídeos a concurso nesta edição são de grande qualidade, e apresentam desde animais, como uma avestruz, a crianças que imitam cowboys. Existe mesmo uma equipa que leva um anúncio à sua quarta final do concurso (com o anúncio Cowboy Kid).

O grande favorito a vencer o concurso era o “Doritos Finger Cleaner”, em que um conjunto de trabalhadores numa pausa utilizam um mecanismo para limpar os dedos que funciona apenas para Doritos. Como funciona? Só mesmo vendo o anúncio para perceber. Esta participação era de um realizador australiano, que podia vir a ser o primeiro participante estrangeiro a ganhar o prémio.

Contudo, os grandes vencedores do concurso foram os anúncios “Time Machine” e “Cowboy Kid”, que podem muito bem ter ganho devido a dois factores: serem ambos americanos; e terem crianças como personagens principais.

No primeiro anúncio, a criança engana um homem que ia a passar pelo jardim e convence-o a a utilizar a sua máquina do tempo em troca de Doritos. Já no segundo um rapaz cowboy consegue ultrapassar o seu irmão numa luta até ao carro porDoritos.

Esta aposta da Frito-Lay foi definitivamente ousada, ainda mais se tivermos em conta que foi feita, pela primeira vez, em 2006. O dinheiro poupado na produção de um anúncio para o Super Bowl (que bem se sabe serem caríssimos) é todo alocado noconcurso.

Mais uma vez uma marca norte-americana demonstra como realmente se utilizam as redes sociais e meios digitais para conseguirem grandes resultados. Não estará na altura dos clientes deixarem o lado conservador de parte e começarem a apostar em formatos diferenciadores?

Estes são os 3 outros finalistas.

Se não conseguirmos aumentar o número de patronos, a 2ª edição da revista será a última, e o Shifter como o conheces terminará no final de Dezembro. O teu apoio é fundamental!