A Nike desistiu da FuelBand?


A Nike, uma das primeiras grandes marcas a entrarem no jogo dos wearables de fitness, despediu esta quinta 55 dos 70 funcionários que compunham a divisão de hardware, responsável pela produção da pulseira FuelBand.

Para além da FuelBand, a divisão de hardware da Nike – intitulada Digital Sport – produzia o Nike+ Sportwatch e outros dispositivos. A FuelBand foi introduzida em 2012, tendo em 2013 sido lançada uma nova versão, com mais cores e suporte para Bluetooth. Na gaveta fica, então, a terceira geração da pulseira.

Também em 2013, a Apple apresentou o iPhone 5S e com ele um novo chip, o M7, capaz de processar a informação recolhida pelos sensores de movimento do telemóvel – o acelerómetro, o giroscópio e o compasso – sem “incomodar” o processador principal, o A7. O M7 foi visto pela Nike como uma oportunidade, tendo no dia 0 – em parceria com a Apple – introduzido o Nike+ Move, a app que faz de qualquer iPhone 5S uma verdadeira FuelBand.

Foco no software

Daqui adiante, a Nike quer aparentemente voltar-se para o software e poderá ter a Apple como um aliado estratégico. As duas empresas estão juntas desde o lançamento do Nike+. O software Nike+ Running, por exemplo, está desde o início no iPod Nano, tendo chegado depois, com o iPhone, ao iOS. Não será, portanto, estranho vermos mais colaboração entre a Apple e a Nike no futuro, para além do referido Nike+ Move.

Rumores indicam que a gigante da maçã está a trabalhar numa nova app nativa para iOS, o Heartbook, cujo objectivo será reunir dados biomédicos dos utilizadores, como ritmo cardíaco, passos dados, quilómetros corridos… O Heartbook poderá ser uma janela para a Nike integrar a plataforma Nike+ e a unidade de medida NikeFuel.

Por outro lado, a Nike irá provavelmente trabalhar junto de outros fabricantes de hardware que não a Apple no sentido de estes também incorporarem o Nike+ nos seus aparelhos electrónicos. Já recentemente, a gigante do “Just Do It” lançou em São Francisco o Fuel Lab, uma incubadora para ajudar as empresas a desenvolverem produtos com o NikeFuel.

No fundo, a Nike parece ter decidido que o melhor seria deixar as outras empresas desenvolverem o hardware do futuro, desde que nelas integrem o seu software.

Desistência da FuelBand? Not so fast!

A Nike já fez saber que a FuelBand continuará a ser uma parte importante do negócio da empresa, estando previsto o lançamento de novas cores e continuará a ser dado suporte às pulseiras actuais.