Com a Android TV, a Google ataca de novo a sala de estar


A Google quer entrar no mercado da televisão – novamente. Depois de uma Google TV sem sucesso, a empresa de Mountain View não desistiu e apresenta hoje a Android TV. Com uma interface simples e intuitiva, integrada com o smartphone ou tablet e com reconhecimento de voz, a Android TV tem todos os ingredientes para funcionar bem.

androidtv_01

androidtv_02

androidtv_03

A Android TV é apenas software. A Google quer que os fabricantes o adoptem nos seus televisores e/ou boxes (para já, a Sony, a Philips e a Sharp serão as marcas a integrarem este Android TV).

A interface da Android TV sobrepõe-se à emissão, permitindo que o utilizador continue a seguir um determinado programa enquanto procura outros conteúdos no menu. A plataforma inclui todo o ecossistema Google, incluindo os filmes e as séries do Google Play, os vídeos do YouTube e a pesquisa inteligente do Google Search.

É, por isso, possível pesquisar filmes: se perguntarmos “quais os filmes nomeados para os Óscares em 2008”, são-nos listados todos os filmes disponíveis não só no Google Play, mas nos outros serviços que tenhamos instalados (Netflix…). Podemos também fazer perguntas específicas sobre os filmes: por exemplo, “qual a actriz principal da série X”.

androidtv_04

androidtv_05

androidtv_06

androidtv_07

A Android TV está desenhada para ser utilizada com o smartphone ou o smartwatch Android. Aliás, existe uma app para estes dispositivos que permite gerir a televisão. Além disso, os mesmos funcionam como microfone para as pesquisas de voz.

Na Android TV existem também jogos e apps do Google Play. É ainda possível fazer streaming de conteúdo de um smartphone ou tablet para o grande ecrã. Todavia, isto não tira utilidade ao Chromecast; este passa a ser uma “Android TV” mais simples e básica, se quisermos.