Descoberto um enorme Oceano nas profundezas da Terra


Na revista Science desta sexta, cientistas da Universidade de Northwestern dizem ter descoberto, debaixo dos EUA, um reservatório de água três vezes maior do que o volume de todos os oceanos do Mundo.

O manto (mantle) da Terra é quente e rochoso; fica entre o núcleo (core) e a crosta (crust). Os cientistas há muito que suspeitavam que, na chamada zona de transição (situada no manto, entre o manto superior e manto inferior, a cerca de 410-600 quilómetros de profundidade relativamente à superfície/crosta terrestre), existia água armazenada na estrutura molecular de minerais, como o ringwoodite. No entanto, não existiam evidências directas dessa água, até agora.

camadasterrestres
A divisão da camada terrestre

Para verificarem se a tal zona de transição era ou não um reservatório subterrâneo de água, uma equipa liderada pelo geofísico Steve Jacobsen, da Universidade de Northwestern, e pelo sismólogo Brandon Schmandt, da Universidade do Novo México conduziu experiências com o ringwoodite, um mineral que tem algo na sua composição que atrai o hidrogénio e retém a água. No fundo, a substância mineral é como uma esponja, absorve a água. Este mineral pode conter muita água sob as condições que existem no manto profundo.

Os investigadores encontraram provas de uma fusão extensiva debaixo da América do Norte nas mesmas profundidades que correspondem à desidratação do ringwoodite. A equipa liderada por Jacobsen e por Schmandt analisou ainda a velocidade das ondas sísmicas no manto abaixo dos EUA para determinar o que existe nele. Verificou que as ondas desaceleraram quando chegaram à camada de mineral. A profundidade a que acontece a fusão é também a que tem melhor temperatura e pressão para que a água saia do ringwoodite.

Ringwoodite
Ringwoodite

Para já, só existem indícios da presença de ringwoodite debaixo dos Estados Unidos, sendo necessárias outras análises para saber se o mesmo se passa noutras zonas do planeta.

Os resultados desta investigação permitirão aos cientistas perceberem melhor o ciclo da água na Terra e ainda como as placas tectónicas movimentam a água entre a superfície e os reservatórios interiores. Acredita-se que a água existente à superfície da Terra pode ter chegado a uma grande profundidade através das placas tectónicas, tendo eventualmente provocado o derretimento parcial das zonas rochosas situadas no manto.