Planeta recém-descoberto a apenas 16 anos-luz da Terra poderá suportar vida


Uma equipa de astrónomos da Universidade de New South Wales descobriu um planeta bastante parecido com a Terra e que reúne características que eventualmente possam permitir a existência de vida como a conhecemos.

O planeta, designado como Gliese 832c, orbita em torno de uma estrela vermelha anã (Gliese 832), num sistema que se encontra a 16 anos luz de nós. Possui uma massa cinco vezes superior à do nosso planeta, e um período de translacção de apenas 35 dias. Contudo, como a estrela em questão emite muito menos energia que o Sol, Gliese 832c encontra-se na chamada zona habitável em torno da estrela, recebendo quantidades idênticas de energia relativamente à Terra.

gliese832c_comparacaoterra

O facto de a massa de Gliese 832c ser cinco vezes superior à Terra torna provável que a sua atmosfera seja bem mais densa que a nossa, fazendo com que o clima seja mais quente e instável. Nesse caso seria mais um Super-Venus do que uma Super-Terra, dadas as altas temperaturas. Todavia, é possível que isto não seja assim, e que as atmosferas sejam semelhantes. Segundo o professor Chris Tinney, da Universidade de New South Wales “se o planeta tiver uma atmosfera semelhante à Terra será possível a existência de vida, apesar de as variações entre estações poderem ser extremas”.

Apesar deste aspecto, Gliese 832c é sem dúvida um dos planetas mais parecidos com a Terra detectados até à data. Abel Mendez Torres, director do Planetary Habitability Laboratory na Universidade de Porto Rico escreveu no seu blogue que O Earth Similarity Index (ESI) de Gliese 832c (ESI = 0.81) é apenas comparável aos de Gliese 667Cc (ESI = 0.84) e Kepler-62e (ESI = 0.83). 

gliese832c_quadro