Kodak une forças em Hollywood para salvar a fita cinematográfica


A Kodak está actualmente a negociar acordos com estúdios de Hollywood para manter a produção da fita cinematográfica, de acordo com o Wall Street Journal. Depois da Fujifilm ter deixado este mercado, em 2013, a Kodak é a única a produzir o material. Contudo, esta só está disposta a manter a produção caso haja interesse dos estúdios.

Desde 2006, a quebra de vendas da fita atingiu os 96%, nomeadamente, devido à chegada das câmaras digitais Arri e RED. No entanto existem ainda realizadores como JJ Abrams a apostar na fita old school, por exemplo, com o novo filme da saga Star Wars. Mas não é o único, juntando-se nesta demanda Quentin Tarantino e Christopher Nolan que defendem a produção analógica em detrimento da digital.

Tarantino, o realizador de Django Unchained e Pulp Fictionrefere mesmo que “projectar em formato digital é como ligar a televisão. Isso não é cinema”. Tarantino acabou mesmo por falar com Bob Weinstein, da Weinstein Company, sobre o possível acordo com a Kodak, que acabou por aprovar a ideia apesar do investimento necessário.

A Kodak tenta formalizar os acordos com os estúdios Warner Bros, Universal, Paramount, Disney e Weinstein, apesar do CEO, Jeff Clarke, esperar que este ano a produção dê prejuízo voltando a dar lucro apenas em 2016. Porém, para que isso aconteça, refere que é crucial a fita voltar a ser reconhecida como um valor seguro para a Hollywood.

Milhares de pessoas seguem o Shifter diariamente, apenas 50 apoiam o projecto directamente. Ajuda-nos a mudar esta estatística.