Lá Tinha: o projecto que transforma latas de sardinha em câmaras fotográficas


As latas de sardinha podem servir para muito mais do que para apenas serem a recompensa do gato lá de casa, que dá umas lambidelas ao que resta na lata, antes de a deitarmos ao lixo.

A comprovar essa potencialidade, o publicitário brasileiro Bob Ferraz e o fotógrafo, também brasileiro, Diego Bastos Cunha criaram o projecto Lá Tinha, onde o principio é simples: reciclar objectos comuns de determinado lugar, usados diariamente por todos nós, mas que, infelizmente, acabam por não ser reutilizados.

latinha_02

No caso português, o objecto escolhido foi a lata de sardinha, que (imagine-se!) pode ser convertida numa máquina fotográfica artesanal. Os dois brasileiros puseram em prática esse processo quase mágico, e em Outubro do ano passado levaram a cabo a primeira oficina do projecto Lá Tinha, no bairro da Cova da Moura. A ajudá-los, estiveram doze crianças, dos 8 aos 14 anos. Jovens que pouco têm no seu dia a dia, e que, graças a este projecto, viram nascer, a partir das suas próprias mãos, máquinas fotográficas artesanais. Usaram as máquinas para fotografar o bairro onde vivem e acabaram por expor as fotografias àquela comunidade.

Esta foi a primeira iniciativa em Portugal do projecto Lá Tinha. Mas já outras estão agendadas, tal como se pode consultar no website do publicitário e do fotógrafo brasileiros.

Incentivar a reciclagem e, como se não bastasse, utilizá-la como meio de intervenção social é o melhor de dois mundos. Uma iniciativa tão louvável, que acho que nem o gato lá de casa se importará de ceder o monopólio das latas de sardinha.

latinha_03