Ninguém queria almoçar com Steve Jobs?


David Black trabalhou na Apple durante cerca de 12 anos, no início dos anos 2000; saiu para trabalhar numa start-up própria. Ao Business Insider contou alguns pormenores de como era trabalhar numa das mais carismáticas empresas do Mundo. Black desempenhou várias funções na Apple, da engenharia ao marketing.

Não interagiu muito com Jobs mas disse ter estado próximo dele o suficiente para perceber como lidava com os seus funcionários. Uma coisa é certa: Jobs – aquela figura enigmática que todos adoramos – queria as pessoas com quem trabalhava motivadas e sempre prontas para responderem às suas questões. Tudo em nome da produtividade e do perfeccionismo.

Por exemplo, quando Jobs se sentava no pátio para almoçar, os empregados da Apple acabavam de almoçar sempre uns 15 a 20 minutos antes de ele aparecer. “Ninguém se sentava ao lado dele”, disse Black ao Business Insider. “só porque queriam estar prontos para esse momento.”

Jobs gostava de saber tudo o que o que acontecia na Apple. Em Março, tivemos a oportunidade de nos sentar com Adam Cheyer, um dos criadores da Siri e também um ex-funcionário da Apple. Cheyer contou-nos, na altura, que uma vez por semana Jobs descia do seu gabinete e fazia uma ronda pelos laboratórios de engenharia para supervisionar o desenvolvimento dos novos produtos. E ajudava: “isto, afinal, não se vai fazer” ou “esta peça tem de estar mais para a direita”.

Mas parece que Jobs também fazia esse acompanhamento fora dos laboratórios. Ele queria os funcionários sempre capazes de responder à pergunta: “no que é que estás a trabalhar neste momento?”. Black contou ao Business Insider a história de um estagiário que, no final do dia, se cruzou com Jobs no elevador. Este perguntou-lhe em que é que ele estava a trabalhar, quando estavam no elevador. O jovem respondeu que estava a tratar da garantia de qualidade de um produto. “Por que motivo é que está a descer? Devia estar a subir para voltar para o trabalho”, disse Jobs. O miúdo ficou pálido. E Steve disse: “Estava só a brincar”, relata Black.

Black contou outras histórias que aconteceram dentro do elevador. Desde um representante de vendas a quem Jobs, no final da tarde, perguntou o que tinha feito durante o dia (o funcionário disse-lhe que andou a vender software), a um outro estagiário cujo trabalho Jobs viu e avaliou dentro do elevador.

“Por isso é que ninguém arriscava ficar em privado com Steve”, rematou Black ao Business Insider. “Tinham de mostrar o que estava a fazer no próprio local.”