Satya Nadella definiu todo um novo rumo para a Microsoft


Há seis meses no cargo de CEO da Microsoft, Satya Nadella tem deixado publicamente explícita a nova estratégia da Microsoft. No entanto, nunca esse novo caminho esteve tão evidente como agora. Num e-mail enviado a todos os funcionários, Nadella deixou bem claro o futuro da empresa: mobile-first e cloud-first.

“Quanto ao seu core, a Microsoft é a plataforma de produtividade para o mobile-first e cloud-first. Vamos reinventar a produtividade para dar poder a todas as pessoas e a todas as organizações no planeta para que façam mais e tenham um sucesso maior”, afirma Nadella, demonstrando que a prioridade da Microsoft tem sido gradualmente alterada.

No processo Digital Work and Life Experiences, o CEO quer integrar todos os produtos e serviços Microsoft, desenhando-os com o objectivo de angariar informação e dados de forma pertinente para o consumidor, sem quebrar a privacidade que o mesmo pretende, ou seja, criar ferramentas com maior capacidade preditiva, mais pessoais e inteligentes.

Contudo, o gestor garante que apesar da descentralização da aposta nos dispositivos, isso não terá impacto na Xbox, no Surface, ou no Windows Phone. Quanto a esses produtos, pretende mesmo fazer crescer a Xbox e a sua base de fãs, e no que toca ao Surface, considera-o um exemplo, uma vez que são estes projectos que permitem à Microsoft criar novas categorias de produto. Compromete-se ainda a criar mercado para o Windows Phone de forma responsável, pois foi sempre esse o objectivo, como ficou explícito com a aquisição dos serviços e dispositivos da Nokia.

Mais do que apenas voltar às raízes, a Microsoft ambiciona ser o símbolo da produtividade no mobile e na cloud. O elemento em que empresas e consumidores confiam para todas as suas tarefas, e não só na criação de documentos.

Acabou também por deixar uma mensagem motivacional para os seus empregados, apesar de reconhecer que o futuro da empresa é bastante desafiador. Afirma que “se compromete a tornar a Microsoft no melhor sítio para os inteligentes, curiosos e ambiciosos fazerem o seu melhor trabalho”, no qual os clientes são a prioridade, pois “ficar obcecado pelo cliente é o trabalho de todos. Cabe à equipa de engenheiros criar experiências que os clientes vão amar”.

Também as tomadas de decisão serão influenciadas pela entrada de Nadella, visto que o mesmo pretende cortar processos e ter menos pessoas responsáveis pela decisão, ao mesmo tempo que pretende aumentar o treino e o investimento nos recursos das várias equipas de engenharia. O objectivo é agilizar os processos de criação, garantindo a qualidade Microsoft. É, por outras palavras, uma forma da Microsoft acompanhar as concorrentes (por exemplo, Google ou Apple) no desenvolvimento de produtos e respetivas atualizações.

No computo geral, é de destacar que Satya Nadella pretende realmente criar impacto na Microsoft e modificar a forma de pensar da multinacional americana. Isto depois de surgirem rumores de possíveis layoffs. Será que a Microsoft irá voltar aos tempos áureos, quando comandada por Bill Gates? Nadella está realmente a fazer por isso.

Lê aqui todo o e-mail.