A paixão de Tom Hanks traduzida para uma app


Nunca tive uma máquina de escrever e não conheço a sensação de escrever numa. Mas sempre quis sentir as teclas a estalar debaixo dos meus dedos e ouvir o som da escrita enquanto vou dedilhando um artigo (apesar de saber que escrever sem erros seria um desafio que certamente falharia).

Hanx Writer é a nova app do actor Tom Hanks, um assumido apaixonado pelas relíquias que são as máquinas de escrever e que quis dar ao mundo a oportunidade de experimentar a sensação de usar uma.

A app foi lançada há pouco mais de uma semana e foi conseguida por uma equipa de programadores contratados por Hanks para realizar a sua ideia. A Hanx Writer é gratuita e só está disponível para iPad. Em poucos dias chegou à posição nº 1 nos rankings das categorias Produtividade e Geral da App Store do iTunes e é a app mais descarregada desde a semana passada.

hanxwriter_greetings

No texto de introdução desta máquina de escrever virtual, o actor explica que começou a coleccionar estes aparelhos robustos nos anos 70, altura em que se terá encantado pela forma como soam enquanto produzem as mensagens neles introduzidas pelos seus utilizadores. E, talvez também nesse momento, terá descoberto o seu amor por onomatopeias, trazendo vagamente à memória Álvaro de Campos pela forma como exalta estas máquinas:

“Tudo o que escreverem numa máquina de escrever soa de forma grandiosa, as palavras formam-se em mini-explosões de SHOOK SHOOK SHOOK. Uma nota de agradecimento ressoa com o mesmo peso que uma obra de arte literária”, escreveu o actor num artigo para o New York Times.

Claro que a sensação de escrever num iPad nunca igualará a de usar uma destas invenções, também elas portáteis (dependendo da força do utilizador), mas Tom Hanks garante que: “Com Hanx Writer, podes ouvir o ritmo do teu trabalho através de um SHOOK SHOOK ou de um FITT-FITT”.

Os utilizadores desta app poderão ainda comprar outros tipos de máquina de escrever, que produzem outros sons e possuem outros tipos de letra, como a Hanx 707 ou a Hanx Golden Touch. Para quem quiser uma experiência mais realista e tiver um teclado Bluetooth pode sempre sincronizá-lo e usá-lo com a sua Hanx Prime Select, a máquina de escrever padrão da app.

Já vi demasiados filmes nos quais aparecem personagens a escrever nestes tanques de literatura e talvez por isso consiga apenas associar-lhes boas imagens (como o Ewan McGregor a escrever a história da concubina Satine, interpretada por Nicole Kidman, no musical Moulin Rouge!). Já ouvi amigos meus dizer que ninguém experimentou realmente a escrita até ter passado os dedos por uma máquina de escrever e imediatamente acusei-os de serem hipsters. Confesso que o fiz por inveja, apesar de honestamente achar que estavam a exagerar. Também ouvi outros amigos falar das maravilhas de escrever cartas com penas e tinta enfrascada. Mas acredito que esses são mesmo hipsters. Sem ofensa.

A escrita numa máquina de escrever não será a mais prática nem a mais segura, mas há uma graça qualquer na ideia de o fazer. Não sei se será o som ou o medo que se deve sentir ao produzir um texto extenso tentando nunca falhar, mas há ali algo de apelativo. O que Tom Hanks propõe é alear aquilo que de melhor têm estas peças – na sua opinião – com os beneficios práticos de um iPad. Nesse processo perdem-se alguns encantos? Talvez. Mas segundo a quantidade de downloads que já foram feitos e a posição da app nos rankings da AppStore, algo de bom trará para a escrita digital. E não deverá ser só o preço.