Deveria a Wikipédia ser universalmente gratuita no telemóvel?


A fundação sem fins lucrativos Wikimedia está a organizar uma petição para fazer chegar de forma gratuita o site de partilha de conhecimento Wikipedia a todos os portadores de telemóveis com acesso à Internet.

O conhecido site pode ser consultado livremente por utilizadores do mundo inteiro e é muitas vezes usado como auxiliar na elaboração de trabalhos escolares. O problema é que o acesso à Internet através de operadoras do serviço móvel é pago e, na maioria dos casos, não é nada barato.

Quem não tem um computador ou não consegue, por qualquer razão, ter um serviço de Internet em casa vê a sua vida complicar-se na hora de recolher informação sobre um qualquer assunto.

Segundo o site Business Insider, no final de 2013 cerca de 22% da população mundial tinha um smartphone, ultrapassando os 20% da população que possuía um PC.

Numa altura em que uma em cada cinco pessoas tem um aparelho móvel, Victor Grigas, que se apresenta como contador de histórias e Produtor de Video da Wikimedia, explica no blog da fundação a importância de as operadoras disponibilizarem o acesso gratuito à Wikipedia.

A petição, que está a decorrer online, foi inspirada pela história de uma turma do ensino secundário na Cidade do Cabo, na África do Sul, que escreveu uma carta aberta no facebook pedindo apoio. Os alunos tinham tomado conhecimento sobre a Wikipedia Zero, uma iniciativa da fundação que trabalha em conjunto com as operadoras móveis para que estas não cobrem pelo trafego referente ao famoso site.

Em 2013, Grigas e a cineasta Charlene Music decidiram ir até África do Sul e, de câmara em punho, registar o pedido dos alunos. O vídeo foi publicado em Outubro do mesmo ano e passados cinco meses obteve resultados: a operadora MTN África do Sul concedeu acesso móvel livre ao site Wikipedia para todos os seus utilizadores através do browser Mini Opera.

Com as imagens conseguidas na Cidade do Cabo, Charlene Music realizou o documentário Knowledge for Everyone que mostra o impacto que o acesso ao conhecimento pode ter numa comunidade através das experiências pessoais dos alunos da Escola Secundária Simenjongo. Espera-se assim fazer chegar a mensagem sobre a importância da transparência da informação e da liberdade da partilha de conhecimentos a todos os cantos do mundo.

Na petição, os assinantes são convidados a partilhar as suas opiniões sobre o impacto que o acesso totalmente livre ao site teria nas suas vidas. Os dados recolhidos serão posteriormente utilizados pela fundação Wikimedia como auxilio nas negociações com operadoras móveis, numa tentativa de persuadi-las a aderir a esta causa de interesse global.

“Muitas pessoas falam das consequências da separação digital global, ou sobre a lacuna existente entre a qualidade e a disponibilidade do acesso digital a norte do globo e a sul do globo (Vint Cerf falou recentemente sobre o problema no [programa] The Colbert Report). Contudo, existem alguns exemplos de histórias que humanizam essa falha”, expõe o contador de histórias Victor Grigas.

Victor tem também trabalhado paralelamente, sob sua conta e risco, para o sucesso desta causa, tendo, inclusivamente, começado uma campanha de crowdfunding para comprar computadores portáteis para os alunos que participaram no documentário.

Desde o lançamento da Wikipedia Zero, estima-se que mais de 350 milhões de pessoas de 29 países diferentes consigam agora navegar gratuitamente pelo site a partir dos seus telemóveis.