Mars 2020, o “próximo Curiosity”, será capaz de produzir oxigénio na atmosfera marciana


Levar o Homem a Marte é o grande objectivo da NASA para esta geração e, nesse sentido, a exploração prévia do planeta vermelho recorrendo a veículos não-tripulados tem conhecido grandes avanços.

Na última quinta-feira, a agência espacial norte-americana anunciou o próximo veículo que pisará a superfície marciana para substituir o Curiosity, em missão há já um ano. O Mars 2020 vem equipado com sete novos instrumentos que prometem ser decisivos na avaliação do planeta, tendo em vista o planeamento de uma missão tripulada.

Entre estes destacam-se dois instrumentos para testar compostos orgânicos, sensores para medir as condições climatéricas e ainda um aparelho experimental que possibilita a produção de oxigénio a partir da atmosfera marciana. Todos estes gadgets vêm com um preço e, neste caso, o Mars 2020 está orçamentado em 130 milhões de dólares.

mars2020_esquema

O Mars 2020 terá um aspecto semelhante ao do Curiosity, assente na mesma carroçaria, e terá como objectivos estudar o solo marciano, procurar mais provas da existência de vida no planeta e avaliar até que ponto será viável a presença humana aí. Para isto, vai recolher rochas e solo para ser estudado na Terra, além de estudar qual a melhor forma de produzir oxigénio em Marte de forma a proporcionar uma futura presença humana no planeta.

“A exploração de Marte será o legado desta geração e o Mars 2020 será mais um passo decisivo na jornada humana em direcção ao Planeta Vermelho”, disse o administrador da NASA Charles Bolden, em comunicado.

A construção do veículo estará a cargo de uma joint venture liderada pelo NASA Jet Propulsion Lab com contribuições internacionais vindas de laboratórios franceses, espanhóis e noruegueses.