50 anos de cultura pop invadem o Museu de Arte Contemporânea de Chicago


The Next Day, lançado em Janeiro de 2013, é, até agora, o último capítulo de uma aventura discográfica que já se estende por mais de cinco décadas. Para trás, estão vinte e cinco álbuns que contam a história de uma das figuras pop mais importantes do século XX e de um dos imaginários mais inventivos desse tempo.

David Robert Jones é David Bowie. David Bowie é Ziggy Stardust. O camaleão do rock – por outras palavras – chamou a atenção do público em 1969 com “Space Oddity”, do homónimo David Bowie, e, desde então, têm-se vindo a reinventar ao longo de álbuns como The Rise and Fall of Ziggy Stardust and the Spiders From Mars, Young Americans, ou de Berlin Trilogy, uma trilogia feita em colaboração com Brian Eno, que inclui os álbuns Low, ‘Heroes’ e Lodger. A criatividade e a teatralidade presente em todos os seus trabalhos e os temas vanguardistas que abordava elevaram Bowie a um patamar que era só seu, e tornaram-no um dos maiores fenómenos de culto da cultura pop.

David Bowie Is é uma exposição inaugurada em Londres, cidade natal de Bowie, em 2013, e que pretende celebrar a carreira do cantor. Através de várias instalações multimédia, nas quais se incluem músicas, aparecimentos televisivos e entrevistas, e mais de 300 objectos pessoais, os visitantes, que mesmo antes da exposição ser inaugurada já tinham comprado milhares de bilhetes, vão poder revisitar todo o trabalho desenvolvido pelo músico.

davidbowieis_chicago_02

Após se ter estreado no Victoria & Albert Museum e de ter passado por cidades como Toronto, São Paulo ou Berlim, David Bowie Is chega agora a Chicago, a única cidade nos Estados Unidos que vai receber a exposição, no dia 23 de Setembro. A justificar esta escolha, está a recente aposta feita no Museu de Arte Contemporânea de Chicago, que o pretende elevar ao nível de instituições como o MoMA, em Nova Iorque. Ao The Guardian, Michael Darling, curador-chefe do museu, explica que o espaço contíguo do museu foi um factor-chave na decisão, sendo que este permite proporcionar uma experiência mais envolvente aos visitantes. Geoffrey Marsh, um dos envolvidos na organização da exposição em Londres, afirma que esta retrata a obsessão de Bowie pela criação de cultura e diz que os visitantes saem da exposição inspirados a criar algo novo e original, algo que David Bowie sempre defendeu que deveria sempre ser feito.

Para celebrar a ocasião, o presidente da Câmara de Chicago, Rahm Emanuel, declarou o dia 23 de Setembro de 2014 como o Dia de David Bowie na cidade, afirmando, num documento assinado a 12 de Setembro, que o cantor era um indiscutível ícone mundial cuja carreira de mais de meio século atravessava culturas enquanto elevava a música, a arte, a moda e o design.