A beleza fatal das Caravelas Portuguesas


A Caravela Portuguesa é um dos menos conhecidos e mais fascinantes animais marinhos – como vive nas águas do alto mar, é muito difícil de ser estudado. Por isso, quando um indivíduo dá à costa, é uma oportunidade única para desvendar um pouco mais do mistério que este animal é. Ou deverei dizer animais? Já lá vamos, primeiro as fotografias brutais tiradas por Aaron Ansarov.

Aaron Ansarov é fotógrafo profissional. Está a residir em Miami, e já há dois anos fotografa Caravelas Portuguesas que aparecem numa praia da Florida. Atraído pelas cores, Ansarov quis conhecer um outro lado do predador que é normalmente associado a uma dolorosa picada.

Foi assim que estas fotografias surgiram. Os impressionantes close-ups revelam os detalhes, as cores, a complexidade e a forma que dão um ar etéreo e quase irreal a esta criatura.

belezacaravelhaportuguesa_02

belezacaravelhaportuguesa_03

belezacaravelhaportuguesa_04

belezacaravelhaportuguesa_05

belezacaravelhaportuguesa_06

A ciência das Caravelas Portuguesas

Da família das alforrecas, este carnívoro faz parte de um grupo de animais chamado Siphonophores e, na verdade, não é constituída por um único organismo. É sim composta por uma colónia de organismos individuais geneticamente idênticos especializados em diferentes tarefas: uns formam tentáculos, outros a estrutura reprodutiva, por exemplo.

O veneno destas criaturas é letal para pequenos peixes; já para nós humanos depende muito do sítio onde somos picados, da nossa idade e género – a espessura da pele é diferente nas várias áreas do corpo e é geralmente mais fina em mulheres e crianças. Assim, uma picada no pescoço de uma criança pode ser fatal, enquanto se for nas costas de um homem adulto apenas pode provocar uma irritação semelhante a quando farpas se espetam na pele.

Ainda sobre o veneno, este é mesmo a principal arma da Caravela Portuguesa: constituído por vários compostos diferentes, é tanto capaz de criar buracos na membrana das células da sua presa, como de lentamente quebrar as proteínas e gordura à volta da célula, permitindo-lhe começar a digeri-la por contacto.

Para finalizar, as Caravelas Portuguesas ganharam este nome devido à sua forma e maneira como se deslocam na água. E é graças a estas características que conseguem sobreviver, uma vez que se movem agilmente e os seus tentáculos de cerca de 9 metros estendem-se pelas águas do alto mar.

Há ainda muitas coisas que não se conhece acerca das Caravelas Portuguesas, a duração do seu ciclo de vida é uma delas, mas podes saber um pouco mais aqui.