“Demora a acreditar, mas o cinema francês está diferente”


É já no dia 2 de Outubro que arranca a 15ª edição da Festa do Cinema Francês, o maior evento francófono em Portugal. E este é um ano especial para a organização. “A preparação foi uma aventura apaixonante por diversas cidades”, afirmou Jean-François Blarel, Embaixador de França em Portugal, na conferência de imprensa que decorreu esta manhã, em Lisboa.

Antagonicamente aos últimos anos, a festa e a própria programação sofreram mudanças significativas. As 7 cidades lusitanas passaram a 18, acrescentando ainda 6 aldeias no norte do país [4 de Miranda do Douro: Vila Chã de Braciosa, Palaçoulo, Malhadas e S. Martinho; e 2 de Vila Verde: Lage e Escariz] – a chamada Festa da Aldeia, onde filmes franceses serão projectados num ecrã insuflável.

França é viver ensemble – 15ª Festa do Cinema Francês

Numa época em que ainda se acredita que o cinema francês é meramente vanguardista e psiquiátrico como as películas que Jean-Luc Goudard tão bem nos habituou, a organização da Festa do Cinema Francês rompeu preconceitos. “Queremos matar os clichés. Mostrar uma França diversificada, com talentos variados. Uma França da liberdade, da igualdade e da fraternidade. Um país de tolerância”, disse o director do Institut Français du Portugal (IFP), Azouz Begag.

“Vêem do mundo inteiro para aprender francês num liceu parisiense. Este bonito documentário conta-nos a sua integração, as suas dúvidas e as suas esperanças.” – Pierre Vavasseur, em Le Parisien

Assim sendo, o filme que abrirá este grande evento será La Cour de Babel, um documentário que conta a história de diversas crianças estrangeiras, entre os 11 e os 15 anos, que durante um ano fazem intercâmbio em França para aprender francês.

25 ante-estreias, 140 sessões, 6 convidados e 2 homenagens

Rica em qualidade, quantidade e diversidade, a Festa do Cinema Francês fará duas homenagens a dois grandes realizadores: Alain Resnais, com a exibição de 18 filmes, dois deles ante-estreias – Aimer, BoireetChanter e Vous N’Avez Encore Rien Vu – na Cinemateca Portuguesa, um lugar bem central e emblemático de Lisboa, que parceiro de longa data do IFP; e Marcel Pagnol, com um ciclo de 4 filmes.

Para o público mais jovem, existirá o universo da animação que conta com as habituais sessões escolares gratuitas em todas as cidades. Os padrinhos serão também eles especiais este ano: o grupo Movimento DansasAparte, constituído por 11 bailarinos e dois técnicos que tem como objectivo a produção artística no âmbito da expressão corporal e da dança na população com deficiência.

Produtores e realizadores serão os grandes convidados em algumas das exibições, sob os quais damos especial atenção a Fabianne Deschamps, realizadora de New Territories, que criou uma história forte e carismática entre duas mulheres, uma francesa e outra chinesa. O filme é passado em Hong Kong.

Cartaz Arrasta A3

“Lisboa não sejas francesa, com toda a certeza, não vais ser feliz”, cantava outrora a nossa querida fadista Amália Rodrigues.

Hoje, Lisboa continua a ser portuguesa,
mas é feliz, casada com Paris.

Para além de Lisboa, a 15ª Festa do Cinema Francês passará por outras 17 cidades:

Lisboa: de 2 a 12 de Outubro
Seixal: de 4 a 10 de Outubro
Coimbra: 6 a 10 de Outubro
Portimão: 9 a 11 de Outubro
Porto: 13 a 19 de Outubro
Faro: 21 a 26 de Outubro
Braga: 28 a 30 de Outubro
Guimarães 31 de Outubro a 4 de Novembro
Beja: 4 a 9 de Novembro
Leiria: 6 a 8 de Novembro
Caldas da Rainha: 6 a 8 de Novembro
São Pedro do Sul: 7 a 9 de Novembro
Viana do Castelo: 11 a 14 de Novembro
Almada: 12 a 16 de Novembro
Setúbal: 13 a 15 de Novembro
Aveiro: 20 a 21 de Novembro
Santarém: 21, 22 e 23 de Novembro
Funchal: 25, 26 e 28 de Novembro