Não precisas de lhe dizer nada, a Uber já sabe para onde vais


Desde que iniciou as suas operações em 2009, a Uber tem revolucionado o tradicional serviço de táxis. A operar em mais de 200 cidades – incluindo Lisboa – em 42 países diferentes, a empresa tem surpreendido pelos serviços disponibilizados. Apesar da muita resistência dos operadores locais, o que já lhe valeu inclusivamente restrições em alguns países, a Uber continua a crescer a um ritmo impressionante.

E claro, como qualquer serviço online, a Uber é também uma base de dados poderosa. Ela sabe para onde milhões de utilizadores vão, quando vão, quantas vezes vão.. Assim, não é de estranhar que consiga faz isto: advinhar qual o destino desejado do passageiro antes sequer de este entrar no carro!

A Uber recorreu a uma análise de dados minuciosa, usando dados prévios dos seus utilizadores. Através de um modelo de estatística Baysiano, os responsáveis pelos dados da Uber criaram um modelo probabilístico para prever qual o destino do utilizador presente numa dada área.

A primeira experiência utilizou uma amostra de 3000 utilizadores de São Francisco. Comparando o destino requisitado com a previsão elaborada a partir do algoritmo, percebeu-se que 3 em cada 4 vezes (73%), o resultado estava correcto. Este algoritmo leva em linha de conta três variáveis chave: o historial do utilizador Uber, a tendência dos outros utilizadores e, finalmente, a popularidade dos locais como restaurantes, bares, clubes nocturnos…

Além disso também introduzem outras variáveis importantes. Que horas são? É pouco provável que queiras ir a um bar às 9 da manhã, a não ser que tenhas um problema de abuso crónico de álcool. Qual deverá ser a distância a partir do ponto de partida? É improvável chamar um táxi para andar dois quarteirões, do mesmo modo que também há poucas possibilidades de alguém chamar um carro para ir para uma cidade a 300 km.

Como diz Ren Lu, responsável pelo UberData e que descreveu pormenorizadamente as fórmulas matemáticas utilizadas para chegar ao algoritmo, “o nosso modelo do destino do utilizador é uma das formas através das quais a equipa #UberData está a trabalhar para melhorar a experiência do cliente Uber”.

Depois de terem modificado o sistema clássico dos táxis, a Uber promete não ficar por aqui e continuar a arranjar formas de melhorar a interacção com o cliente bem como tornar a sua viagem mais personalizada e agradável.