Novos iPhones não são assim tão frágeis, diz a Consumer Reports


Depois do polémico bendgate, a Consumer Reports, uma revista que visa a avaliação e revisão de bens de consumo, semelhante à DECO PROTESTE, decidiu testar em laboratório a resistência dos novos iPhone 6 e iPhone 6 Plus.

Os telemóveis foram testados através de um teste de flexão em três pontos – que consiste em apoiar o aparelho em dois pontos opostos enquanto uma barra metálica vai exercendo progressivamente força no centro – juntamente com smartphones de outras marcas, a fim de comparar a qualidade dos equipamentos.

Os resultados mostram que a fragilidade do recente produto da Apple tem sido um pouco exagerada pelos media e pelas comunidades cibernautas… Embora se tenha provado que ambos os modelos do iPhone 6 são menos resistentes à aplicação de pressão do que alguns smartphones de outras marcas ou mesmo do que o seu antecessor, o iPhone 5, verificou-se que é necessária uma força considerável para que os polémicos iPhones fiquem dobrados ou partidos.

A Consumer Reports testou seis modelos de smartphones: o HTC ONE (M8); os iPhones 5, 6 e 6 Plus; o modelo G3 da LG e o Galaxy Note 3 da Samsung. Os novos iPhones ficaram entre os modelos testados menos resistentes, mas mesmo assim foi necessária uma pressão superior a 40 quilogramas para que o a versão 6 Plus dobrasse. Melhor qualificado ficou o iPhone 5, ultrapassando o smartphone da LG, que precisa de forças superiores a 58 quilogramas para ficar danificado.

Parece então pouco provável que qualquer pessoa possua a força necessária para dobrar um iPhone 6 Plus com as próprias mãos (talvez consiga depois de algumas horas de ginásio), mas continua a não ser aconselhável sentar-se em cima do telemóvel.

Em termos de resistência, a Samsung prova mais uma vez ser superior à Apple, com o Samsung Galaxy Note 3 a superar todos os outros modelos, aguentando a aplicação de uns impressionantes 68 quilogramas sem sofrer quaisquer danos.

Apesar disto, a onda de reprimenda à Apple não parece justificar-se. Para além dos testes da Consumer Reports, também um analista de Wall Street decidiu testar o smartphone. Segundo o Business Insider, na passada sexta-feira Walter Piecyk entrou numa loja e tentou dobrar um iPhone 6 Plus com as próprias mãos, não tendo provocado qualquer dano ao aparelho.

A Apple já emitiu um comunicado em resposta a todos os acontecimentos relacionados com o bendgate.