‘Briefly’: um pequeno documentário sobre briefings criativos


 
O Shifter precisa de dinheiro para sobreviver.
Se achas importante o que fazemos, contribui aqui.

Qualquer projeto começa com um briefing, mas apenas alguns resultam em algo excepcional. Tom Bassett, CEO da Bassett & Parters, quis perceber porque é que isto acontece.

Com entrevistas a Frank Gehry (fundador Gehry Partner), Yves Béhar (CEO fuseproject), Maira Kalman (ilustradora), John C Jay (presidente GX, parceiro Wieden + Kennedy), David Rockwell (CEO Rockwell Group) e John Boiler (CEO 72andSunny), o documentário Briefly é um must-watch que pretende informar e inspirar futuras gerações a encarar o briefing de uma forma diferente.

9 ideias a reter

  1. não esquecer que isto é um trabalho emocional: “não somos designers de formas, somos designers de ideias”;
  2. o brief é um ponto de partida que se torna irrelevante a partir do momento em que é lido, pois as coisas estão em constante mutação;
  3. quanto mais concisa for a ideia que o briefing transmite acerca do problema a resolver, melhor será o trabalho desenvolvido;
  4. os melhores briefs são os mais audazes e que parecem impossíveis de trabalhar;
  5. todos os briefs são uma oportunidade para perceber como é que pensamos, como é que nos diferenciamos e o que é que trazemos a cada projeto;
  6. só porque se consegue obter informação facilmente na internet, não significa que tenhamos o contexto: “o pó mágico é o que está a acontecer na cultura neste momento”;
  7. é necessário estar protegido pela verdade;
  8. o que faz um grande projeto é um brief e uma resposta que ressoam mas que não concordam: é algo que surge a partir do brief mas não de uma forma direta e linear;
  9. há que ser curioso e trabalhar a intuição.
Se não conseguirmos aumentar o número de patronos, a 2ª edição da revista será a última, e o Shifter como o conheces terminará no final de Dezembro. O teu apoio é fundamental!