Esta escultura é um peixe, um pássaro e não só


 
O Shifter precisa de dinheiro para sobreviver.
Se achas importante o que fazemos, contribui aqui.

Isso mesmo. A perspectiva é tudo para Thomas Medicus, um artista austríaco cuja última criação tanto tem de metódica como de intrigante. Medicus pintou à mão 160 tiras de vidro que dispôs estratégicamente sobre uma plataforma giratória.

O resultado é um exemplo de anamorfose, um truque que requer que o espectador se situe num ponto específico para obter o efeito completo do trabalho. Assim, o austríaco tem, na mesma peça, quatro pinturas escondidas.

A peça mostra-nos uma ave, que se transforma num peixe, e nos dois movimentos seguintes desvenda a “mecânica” interna de cada um dos animais. “Mecânica” porque são ambos constítuidos por partes biológicas e industriais: trata-se de um peixe e uma ave com espinhas e ossos, engrenagens e rodas.

Bem de perto até é possível ver um homenzinho a conduzir o peixe.

A obra chama-se Emulsifier e pode ser vista ao pormenor aqui:

Se não conseguirmos aumentar o número de patronos, a 2ª edição da revista será a última, e o Shifter como o conheces terminará no final de Dezembro. O teu apoio é fundamental!