Exército Electrónico Sírio ataca sites de jornais ocidentais


Esta quinta-feira de manhã, vários sites de jornais ocidentais foram atacados pelo Exército Electrónico Sírio (EES). O britânico The Independent, uma das publicações afectadas, referiu que o problema teve origem na sua plataforma de comentários Gigya, que é usada por todos os sites atacados.

ataqueseaindependent_popup

Os jornais britânicos The Guardian, The Telegraph, o americano The Chicago Tribune, o espanhol ABC, e as revistas PC World, Forbes e Time Out London também foram alegadamente vítimas do ataque dos piratas sírios. Outros sites, como o do clube de futebol francês Toulouse FC, o da liga de hóquei NHL e o da estação televisiva canadiana CBC, foram igualmente afectados, diz o Independent.

O jornal britânico conta ainda que o ataque foi feito através da plataforma de comentários que usa o seu site, o Gigya. Os piratas sírios usaram o Gigya para entrar nos vários sites, fazendo aparecer aos seus utilizadores mensagens pop-up, indicando ter sido “pirateado pelo Exército Electrónico Sírio”, e reencaminhado-os imediatamente para uma página com o logotipo do grupo de piratas.

Ainda de acordo com o Independent, a plataforma Gigya em si não foi hackeada, e os piratas sírios não roubaram quaisquer dados pessoais de utilizadores. Aliás, tudo indica que o EES tem outros objectivos.

O Exército Eletrónico Sírio (ou, simplesmente, EES) é um grupo de piratas informáticos que, existe desde 2011, para defender o regime de Bashar Al Assad, na Síria, e combater a desinformação dos media ocidentais. Tem sido responsável por vários ataques; em Outubro do ano passado, por exemplo, o grupo invadiu a conta de Twitter da agência noticiosa Associated Press e espalhou através dela notícias sobre uma falsa morte de Barack Obama.

Milhares de pessoas seguem o Shifter diariamente, apenas 50 apoiam o projecto directamente. Ajuda-nos a mudar esta estatística.