Investigadores desenvolvem plástico que se desintegra quando exposto à luz


 
O Shifter precisa de dinheiro para sobreviver.
Se achas importante o que fazemos, contribui aqui.

O problema dos resíduos acumulados ganha cada vez mais relevância numa Sociedade onde aumenta cada vez mais a produção de materiais sintéticos e semi-sintéticos como os pásticos, em que alguns tipos demoram centenas de anos a degradarem-se na Natureza.

Neste sentido, investigadores da Universidade da Dakota do Norte, nos EUA, criaram um plástico que se desintegra, reduzindo-se à sua forma molecular, quando é exposto a uma fonte de luz específica.

O composto criado por esta equipa tinha por base uma solução molecular de frutose, uma molécula orgânica monossacárida, que não é mais que o açúcar existente nas frutas. Através da molécula de frutose foi construída um polímero com caracteísticas semelhantes aos plásticos.

De seguida o polímero foi exposto durante três horas a luz ultravioleta e verificou-se que a energia da radiação era capaz de transformar o plástico de novo numa solução de moléculas de frutose.

O objectivo deste estudo é o de utilizar o polímero em novos materiais de forma a que estes sejam degradados pela luz, evitando-se deste modo a questão da poluição provocada pelos plásticos não degradáveis. Um propósito frisado por um dos líderes do projecto, Dr. Sivaguru Jayaraman: “A nossa estratégia passa por construir novos materiais degradáveis com a luz após serem usados, diminuindo os efeitos indesejados dos produtos químicos no meio ambiente.

Por ora, o composto ainda não passa de um projecto com muito potencial. Nos próximos tempos serão estudadas capacidades como a durabilidade e a resistência com vista à entrada no mercado.

Se não conseguirmos aumentar o número de patronos, a 2ª edição da revista será a última, e o Shifter como o conheces terminará no final de Dezembro. O teu apoio é fundamental!