Mark Zuckerberg: “Nunca quis que o Facebook fosse algo fixe”


Mark Zuckerberg respondeu às perguntas dos utilizadores do Facebook numa sessão que decorreu ontem, à tarde, no edifício da empresa. Durante cerca de 1 hora, o fundador da maior rede social procurou responder ao maior número de perguntas possível, uma tarefa complicada porque recebeu mais de 9 mil.

Zuckerberg falou do Messenger, o alcance orgânico das páginas, do filme Social Network, de falhanços… Mas os dois pontos mais importantes de toda a sessão de perguntas e respostas foram estes: o Facebook não é algo cool, nem prende ser; outra o seu fundador usa sempre a mesma t-shirt para poupar as suas capacidades cognitivas.

“O objectivo nunca foi fazer com que o Facebook fosse algo fixe”, disse Mark Zuckerberg. “Eu não sou sequer uma pessoa fixe.” O objectivo, explicou, foi criar uma ferramenta capaz de conectar as pessoas e facilitar a comunicação entre elas. “Só queremos que ele seja útil”, disse. O Facebook existe e está lá quando as pessoas precisam dele para partilhar ideias, histórias, fotos ou vídeos, conversar com os amigos, saber o que se passa no Mundo…

Mark Zuckerberg comparou o Facebook à electricidade ou à água. Nenhum deles é um serviço cool, são coisas úteis que usamos no nosso dia-a-dia.

O executivo explicou também por que motivo o vêem sempre com a mesma cor vestido. Não, o Zuckerberg não usa a mesma t-shirt todos os dias. Ele tem é várias t-shirts iguais da mesma cor. Explica o fundador do Facebook, comparando-se a outras figuras como Steve Jobs ou Barack Obama, que o objectivo é diminuir o número de escolhas diárias que tem de fazer.

Assim, se não tiver de escolher todos os dias que roupa vestir, é menos uma preocupação que tem, pelo que pode direccionar mais energia para aquilo que realmente importa: fazer o Facebook.