Taylor Swift removeu toda a sua música do Spotify


A cantora pop norte-americana Taylor Swift retirou toda a sua música do Spotify. O seu mais recente álbum, 1989, nem sequer chegou a aparecer no serviço de streaming de música. “A pirataria, a partilha de ficheiros e o streaming é responsável pela queda drástica das vendas de álbuns”, escreveu a artista no início de 2014 no Wall Street Journal, defendendo ainda que a música não deve ser gratuita.

Em 2012, Taylor Swift começou por não permitir que o álbum Red integrasse a biblioteca do Spotify, mas mais tarde cedeu. Agora, nenhum trabalho da artista norte-americana pode ser ouvido no serviço. Quer dizer, há uma só música de Swift no Spotify: “Safe & Sound” da banda sonora do filme The Hunger Games.

O Spotify reagiu à saída de Swift. “Nós adoramos a Taylor Swift e os nossos mais de 40 milhões de utilizadores adoram-na ainda mais – cerca de 16 milhões deles tocaram músicas dela nos últimos 30 dias, e a cantora está presente mais de 19 milhões de playlists”, referiu a empresa em comunicado. O Spotify partilhou uma playlist, intitulada O que ouvir enquanto a Taylor não está, onde estão artistas como Katy Perry, Leagues, Ed Sheeran e One Direction.

“Esperemos que ela mude de ideias e se junte a nós para construir uma nova economia de música que trabalha para toda a gente. Acreditamos que os fãs devem poder ouvir música onde e sempre que quiserem, e que os artistas têm o absoluto direito de serem pagos pelo trabalho deles e de se protegerem da pirataria. É por isso que pagamos cerca de 70% das nossas receitas à comunidade da música”, acrescenta a empresa.

Taylor Swift não é a primeira, nem a única artista a dizer não ao Spotify. David Byrne, The Black Keys e Thom Yorke também já o fizeram. Aliás, Thom Yorke decidiu recentemente explorar um formato alternativo: o BitTorrent Bundle.

O Spotify termina o comunicado com um PS engraçado. Uma alusão à letra da música “Love Story” de Swift: “P.S. Taylor, we were both young when we first saw you, but now there’s more than 40 million of us who want you to stay, stay, stay. It’s a love story, baby, just say, Yes.”

O Shifter é gratuito e sempre será. Mas, se gostas do que fazemos, podes dar aqui o teu contributo.