Com o novo sistema CAPTCHA da Google, podes dizer que não és um robô sem códigos estranhos


 
O Shifter precisa de dinheiro para sobreviver.
Se achas importante o que fazemos, contribui aqui.

Ninguém gosta de digitar códigos esquisitos sempre que quer preencher um qualquer formulário num qualquer site, mas há que dar o mérito ao sistema CAPTCHA. É ele que tem ajudado a manter os bots e outros mecanismos automáticos afastados da Internet que diariamente visitamos.

Actualmente, o CAPTCHA usa imagens que apenas um ser humano consegue identificar e reproduzir para afastar os “robôs”. No entanto, este sistema – para além de chato para o utilizador – já provou ser falível.

A Google tem uma nova abordagem ao CAPTCHA. Chama-se No CAPTCHA.

No fundo, em vez de te pedir para reproduzires em texto um conjunto de letras e números de uma imagem, ele exige unicamente que tenhas de clicar num botão. Assim…

nocaptcha_exemplificacao

Como é possível o sistema ter certezas se apenas temos de clicar num botão? O algoritmo faz uma analise à interacção do utilizador com a página e determina se há probabilidade de ser um bot ou não. Em caso de ser necessário tirar as dúvidas aparece um novo desafio, ainda que simples, como este:

No telemóvel, o mecanismo é diferente. A Google pede-te para identificares as fotografias que correspondem à apresentada.

nocaptcha_mobile

Fonte: Google

Se não conseguirmos aumentar o número de patronos, a 2ª edição da revista será a última, e o Shifter como o conheces terminará no final de Dezembro. O teu apoio é fundamental!