Derby voltou a correr graças a uma prótese criada numa impressora 3D


Este é mais do que um vídeo fofinho com cães. É fofinho e tem um cão mas a mensagem por trás desta história vai além disso – é mais um exemplo de como a tecnologia pode mudar vidas.

O Derby nasceu com as patas da frente deformadas. Sem conseguir mover-se com destreza, os donos experimentaram comprar uma espécie de andarilho com rodas que, apesar de ajudar, mostrou ser pouco prático. Mas Tara Anderson, a americana que adoptou Derby a uma organização sem fins-lucrativos é uma das directoras da 3D Systems, uma empresa que vende impressoras 3D.

A circunstância mostrou ser útil para a realidade e, com a ajuda de uma equipa de ortopedia, a 3D Systems criou umas próteses especialmente pensadas para o Derby. A verdade é que o Derby foi causa e consequência da acção desta empresa – este vídeo com a sua história é o mais recente anúncio da companhia sediada em Rock Hill, no sul da Califórnia.

É mais um exemplo de que as impressoras 3D podem ser uma solução viável para muitos problemas médicos. É mais rápido e barato desenvolver protótipos e, neste caso, o resultado foi um cão muito feliz.