Obama diz que a Sony Pictures cometeu “um erro” e que os EUA vão responder à Coreia do Norte


Barack Obama falou esta sexta-feira aos jornalistas sobre o ataque da Coreia do Norte à Sony Pictures que levou ao cancelamento do filme The Interview, uma comédia com o líder norte-coreano. O Presidente dos EUA disse que a Sony Pictures cometeu “um erro” com esta suspensão e deixou uma promessa: “responderemos proporcionalmente e num local e num momento que escolheremos.”

Obama mostrou-se solidário com o estúdio pelos inúmeros ataques de que foi vítima nas últimas semanas, mas lamentou o erro que cometeu ao cancelar o filme, cuja estreia estava prevista para dia 25 de Dezembro nos Estados Unidos (e dia 29 de Janeiro em Portugal).“Gostava que tivessem falado comigo primeiro. Ter-lhes-ia dito para não entrarem num padrão no qual são intimidados”, referiu.

“Não podemos ter uma sociedade em que um ditador em algum lugar possa começar a impor censura aqui nos EUA. Porque se alguém é capaz de intimidar as pessoas para impedir o lançamento de um filme satírico, imaginem o que farão quando for um documentário de que não gostam, ou de notícias de que não gostam”, disse o presidente norte-americano na Casa Branca, onde decorreu, esta tarde, a conferência de imprensa.

Obama diz que o ataque informático à Sony Pictures, por causa de “um filme satírico com… Seth Rogen e James Franco”“diz algo interessante sobre a Coreia do Norte . O Presidente acrescenta: “A noção de que era uma ameaça para eles dá-nos uma ideia de que tipo de regime estamos a falar. Causaram muitos estragos e responderemos. Responderemos proporcionalmente e num local e num momento que escolheremos.”

As palavras do Chefe de Estado norte-americano surgem depois daquilo a que podemos apelidar de um violento ataque da Coreia do Norte aos Estados Unidos. O país liderado por Kim Jong-un conseguiu silenciar um filme que não lhe agradou, divulgando informações privadas e confidenciais da Sony Pictures.