Prémio Pessoa 2014 atribuído ao historiador de ciência Henrique Leitão


Henrique Leitão foi esta sexta-feira laureado com o Prémio Pessoa de 2014. O investigador e historiador de ciência foi distinguido pelo seu trabalho de investigação e divulgação da história da ciência portuguesa.

Henrique Leitão nasceu em 1964, em Lisboa. É doutorado em física teórica pela Universidade de Lisboa desde 1998, mas foi na história das ciências exactas (mais precisamente entre os séculos XV e XVII) que fez o seu percurso profissional. É hoje investigador principal no Centro Interuniversitário da História das Ciências e Tecnologia (CIUHCT) e docente na Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa.

O júri do Prémio considera que Henrique Leitão “combina a sólida formação científica com um conhecimento humanista, que o torna num verdadeiro cultor da interdisciplinaridade”. E refere que o seu trabalho “teve um grande destaque pela projecção nacional e internacional da exposição 360º Ciência Descoberta, realizada em 2013 na Fundação Calouste Gulbenkian, “dando a conhecer ao grande público a importância crítica que a Península Ibérica teve para o desenvolvimento científico e o progresso civilizacional”.

O vencedor da 28.ª edição do Prémio Pessoa é ainda “o coordenador do projecto de publicação das Obras Completas de Pedro Nunes”, conforme refere o júri, acrescentando que o investigador, “em 2014, distinguiu-se pelo seu contributo para resolver um problema científico em aberto há um século, o Método da Projeção de Mercator”.

Henrique Leitão receberá 60 mil euros. O Prémio Pessoa é atribuído pelo semanário Expresso com o patrocínio da Caixa Geral de Depósitos; reconhece anualmente a intervenção de uma personalidade portuguesa particularmente relevante e inovadora na vida artística, literária ou científica do país.

O júri desta 28ª edição do Prémio Pessoa foi presidido por Francisco Pinto Balsemão e integrou Álvaro Nascimento, António Barreto, Clara Ferreira Alves, Diogo Lucena, João Lobo Antunes, José Luís Porfírio, Maria Manuel Mota, Maria de Sousa, Pedro Norton, Rui Magalhães Baião, Rui Vieira Nery e Viriato Soromenho Marques.