A proposta da Microsoft para mudar a realidade: hologramas


Os hologramas sempre foram uma espécie de mito da tecnologia. Muitos sonharam com eles durante anos, depois viram-nos acontecer e passam hoje a ser algo ainda mais real. Ao longo dos últimos anos, a Microsoft esteve a desenvolver a tecnologia halográfica num laboratório secreto e o resultado foi apresentado esta quarta-feira com uma promessa bem clara: isto dá para fazer infinitas coisas, quer no campo do entretenimento, quer no da produtividade empresarial.

“E se pudéssemos pegar na tecnologia e trazê-la para o nosso mundo? Hoje damos o próximo passo”, disse o engenheiro Alex Kipman, um dos criadores da tecnologia Kinect, durante a apresentação desta quarta-feira. “Inventámos o computador holográfico mais avançado que o mundo alguma vez viu”, garantiu Kipman.

Com o Windows 10, os hologramas vão estar ao alcance de milhares de pessoas e os programadores terão a oportunidade de desenvolver apps que tirem partido desta nova proposta de realidade aumentada. Fazer chamadas de Skype, jogar Minecraft ou explorar Marte são três exemplos de aplicações interessantes da tecnologia.

Windows Holographic é o nome que a Microsoft deu ao sistema de hologramas que desenvolveu e Microsoft HoloLens é o primeiro equipamento a suportar esta tecnologias. São uns óculos com lentes especiais que permitem ver, no espaço real, as projecções halográficas e mexer nelas. O HoloLens vai chegar ao mercado na mesma janela de tempo do Windows 10.

windowsholographic_02

Os óculos têm um CPU e um GPU para poder fazer a sua própria renderização de elementos, e vêm equipados ainda com um processador dedicado aos hologramas. E isso torna o dispositivo independente – não é necessário um PC nem um smartphone para poder funcionar. “O aparelho tem sensores e som espacial, para podermos ouvir um holograma mesmo quando ele está atrás de nós”, explicou Alex Kipman.

A revista Wired tem uma reportagem completa sobre o Windows Holographic e o Microsoft HoloLens. Podes lê-la aqui.