A scooter eléctrica que não precisa de ser ligada à tomada


 
O Shifter precisa de dinheiro para sobreviver.
Se achas importante o que fazemos, contribui aqui.

Chama-se Gogoro SmartScooter e parece ter chegado do futuro para o CES 2015, em Las Vegas. É feita pela Gogoro, uma start-up cujo nome te será quase de certeza estranho ao ouvido. Nos últimos anos, esta empresa tem trabalho quase em segredo, mas tal discrição não a impediu de receber um financiamento de 150 milhões de dólares.

No CES, a Gogoro apresentou-se ao público com a sua SmartScooter conseguiu, e conquistou de imediato a atenção da imprensa especializada. O Business Insider inclusive apelida a Gogoro de “a Tesla das scooters” (qualquer comparação que envolva uma empresa do Elon Musk é um grande elogio).

gogorosmartscooter_01

gogorosmartscooter_02

gogorosmartscooter_03

gogorosmartscooter_04

gogorosmartscooter_05

Mas o que tem a scooter eléctrica da Gogoro de tão especial? Em primeiro lugar, o modelo de carregamento. A SmartScooter não precisa de ser ligada uma única vez à tomada.

O veículo funciona tendo por base duas células de energia que são facilmente removíveis. Na prática, são dois pequenos “tubos” de ião lítio que fazem a SmartScooter andar. Se a carga de um se gastar, trocas por um “tubo” com carga completa numa das estações de troca que a empresa quer ter em vários postos nas cidades do futuro. Diz a Gogoro que este processo de troca de baterias pode durar apenas 6 segundos.

No momento em que o consumidor comprar a scooter, vai também subscrever um plano energético – uma espécie de Netflix” – que lhe dá acesso aos tais postos de abastecimento.

gostation_01

gostation_02

gostation_03

Com um design futurista, a Gogoro SmartScooter consegue fazer 100 km/h e um máximo de 160 km por carregamento. O motor eléctrico de 8,58 cavalos de potência permite acelerar de 0 a 50 km/h em 4,2 segundos. É o ideal para um ambiente citadino.

A scooter está sempre conectada ao seu utilizador através de uma app para telemóvel. Esta diz-lhe – graças aos 50 sensores da mota – quando é preciso trocar uma bateria, quanta carga foi conseguida através do sistema de travagem regenerativa ou quais são os postos de abastecimento mais próximos. Também garante a possibilidade de reserva de bateria, de forma a evitar que o condutor chegue ao local e não encontre baterias disponíveis.

A Gogoro SmartScooter deverá chegar ao mercado norte-americano ainda este ano.

Se não conseguirmos aumentar o número de patronos, a 2ª edição da revista será a última, e o Shifter como o conheces terminará no final de Dezembro. O teu apoio é fundamental!