10 anos de YouTube


 
O Shifter precisa de dinheiro para sobreviver.
Se achas importante o que fazemos, contribui aqui.

Dez anos é muito tempo, especialmente na Internet, onde 300 horas de vídeo são carregadas para o YouTube a cada minuto. No 10º aniversário da maior plataforma online de vídeo, olhamos para o seu passado, para o seu presente e para o seu futuro.

A 14 de Fevereiro de 2005, nascia o domínio YouTube.com pelas mãos de Chad Hurley, Steve Chen e Jawed Karim. O primeiro vídeo foi publicado no site no mesmo ano, a 23 de Abril, por Karim: “Me at the Zoo” mostra o co-fundador do site em frente a um grupo de elefantes no jardim zoológico de San Diego, na Califórnia. Desde que foi carregado em 2005, o vídeo já foi visto mais de 18 milhões de vezes – está longe de ser um “Gangnam Style”.

Em Dezembro do mesmo ano, o YouTube foi lançado oficialmente. No ano seguinte, em Julho, todos os dias eram carregados 65 mil vídeos. Em Novembro de 2006, o YouTube foi comprado pela Google por 1,65 mil milhões de dólares; o número de vídeos publicados continuou a crescer nos anos seguintes, a par com a popularidade cada vez maior da plataforma.

Com 10 anos, o YouTube é um dos mais interessantes espaços da Internet, não só pela sua plataforma ou marca, mas também pela diversidade do conteúdo que alberga. 300 horas de vídeo são carregadas por minuto para o YouTube. Nem merece ser visto, até porque não vives o tempo suficiente para conseguires ver tudo.

Música, desporto, culinária, humor, gaming, actualidade. Qualquer que seja o tema que procuras, existe um vídeo – ou um conjunto de vídeos – para ti no YouTube. Com mais de mil milhões de utilizadores, o site é a casa de muitas pessoas que nele encontraram uma forma de distribuir o seu conteúdo e de mostrar o seu talento, criando comunidades astronómicas de seguidores e tornando-se verdadeiras vedetas/estrelas da Internet.

Com a adopção da tecnologia HTML5 no player, o suporte para 60 fps e ainda possibilidade de carregar vídeos 4K, o YouTube está pronto para os próximos 10 anos. Mas antes de atacarmos a nova década, recordamos alguns dos clips que marcaram os primeiros anos da vida da plataforma.

1. “Evolution of Dance” (2006)

Seis minutos de comediante Judson Laipply a realizar movimentos de dança pateta tornou-se um dos primeiros virais do YouTube, acumulando 290 milhões de visualizações ao longo de quase uma década.

2. “Noah takes a photo of himself every day for 6 years” (2006)

Outro viral que marcou o YouTube foi este do utilizador Noah Kalina, que entre 11 de Janeiro de 2000 e 31 de Julho de 2006 tirou uma fotografia a ele mesmo (a chamada selfie), compilando tudo num vídeo de 5/6 minutos. 26 milhões de visualizações foi quanto conseguiu na plataforma durante estes 10 anos.

3. “David after dentist” (2005)

Este é daqueles que requerem poucas palavras. David, o pequeno rapaz de 7 anos que acabou de vir do dentista. Soma 128 milhões de visualizações.

4. “Baby” – Justin Bieber (2010)

Por mais que o detestemos, Justin Bieber é um fenómeno mundial e parte disso deve-se ao YouTube. O videoclip de “Baby” – um tema que todos nós (forçosamente) conhecemos – reúne mais de mil milhões de visualizações.

5. Tyler Oakley (2010)

Um dos “efeitos secundários” do YouTube – se assim pudermos chamar – é a criação de estrelas da Internet. Pessoas que, de um momento para o outro, ganham notoriedade pelo seu talento, reunindo milhares/milhões de seguidores. Tyler Oakley foi uma dessas pessoas: nasceu, cresceu e evoluiu no vídeo online. Com mais de 6,5 milhões de subscritores, Tyler Oakley publicou este vídeo em 2010, no qual hoje tem mais de 2,5 milhões de views.

6. Nyan Cat 10 hours (2011)

Porque 10 horas de Nyan Cat fazem todo o sentido… O vídeo foi um dos primeiros a surgir depois de o YouTube permitir o upload de vídeos com mais de 15 minutos.

7. “Gangnam Style” (2012)

Falar da história do YouTube sem referir o “Gangnam Style” não faria sentido. Dois mil milhões de visualizações foi quanto este vídeo de PSY conseguiu.

8. “Four Horsemen” – Feature Documentary (2013)

Com a abertura do YouTube a vídeos longos, realizadores independentes passaram a poder usá-lo para divulgar o seu trabalho. Foi o que fez Ross Ashcroft com o seu premiado documentário “Four Horsemen”, sobre a crise financeira global.

9. “The Harlem Shake” (2013)

No YouTube podem nascer tendências que vão “contaminar” as outras redes sociais. O Harlem Shake é um exemplo de que todos nós nos lembramos. O vídeo original reúne mais de 50 milhões de visualizações.

10. “Abdullah-X: Five Considerations for a Muslim on Syria”

É importante reconhecer o papel do YouTube na actualidade mundial: a plataforma é uma ferramenta dos jornalistas. Em 2014, por exemplo, este vídeo foi uma iniciativa islâmica para chegar aos jovens, aspirantes a jihadistas.

Se não conseguirmos aumentar o número de patronos, a 2ª edição da revista será a última, e o Shifter como o conheces terminará no final de Dezembro. O teu apoio é fundamental!