A Porta dos Fundos na FOX é para ver com a cabeça na almofada


 
O Shifter precisa de dinheiro para sobreviver.
Se achas importante o que fazemos, contribui aqui.

Dia 17 de Fevereiro, terça-feira, às 21h45, é bem provável que muitos portugueses estejam mais parados do que o habitual. O motivo? O tormento da ressaca provocada pelo dia anterior, Carnaval, onde a folia é rainha. A pensar nisso, a FOX portuguesa virou o ecrã 90º desafiando os fãs da Porta dos Fundos a assistirem à ante-estreia da série no sofá, deitados. Tudo para que não tenhas de levantar a cabeça da almofada, ficando assim instituído o Dia Nacional da Ressaca. Para apresentar a ideia, quatro membros do elenco estiveram ontem numa apresentação à imprensa com Ian SBF, António Pedro Tabet, Gregorio Duvivier, João Vicente de Castro, aos quais se juntou depois Gabriel Esteves, um dos guionistas dos famosos sketches do YouTube.

As perguntas começaram e o Shifter avançou perante o quarteto brasileiro: como vai ser feita a transição entre os sketches, uma vez que o formato compacto da televisão difere do modelo do YouTube? Gregorio Duvivier tinha a resposta na ponta de língua: “Vai haver um sketch longo que vai acompanhar todo o episódio… algo bastante pesado e chocante!”, contou. “É uma espécie de costura dos sketches”, explicaram.

“Nós fizemos o programa de humor que queríamos ver”

A frase é de António Pedro Tabet, um dos mais conhecidos do elenco, que explicou que, grande parte dos actores que formam a Porta dos Fundos, vêm de um projecto anterior, o “Anões em Chamas“. O sucesso, esse, veio sem explicação. Neste momento, semanalmente, cada um deles escreve três guiões que depois passam pela aprovação de toda a equipa. “Vão sem identificação de quem os fez”, revelam, para ninguém ficar ressentido.

Na verdade, o trabalho é mais individual do que colectivo: “Nós não temos as ideias todos juntos”, revelou Gregorio, “ao contrário do que muita gente pensa”. Aproveita também para, em tom de brincadeira, revelar um dos seus truques: “Eu gosto de usar drogas legais na Holanda [risos]. Tenho de vos passar o meu contacto!” O único que sabe de tudo, por motivos de organização da equipa, é Fábio Porchat, o líder da Porta dos Fundos.

Já tiveram vários contratempos: “principalmente com polícias e deputados”, revelando um caso de um deputado que os processa constantemente. “Os processos dele são um sinal claro de que estamos no caminho certo”, disse sem hesitar Gregorio Duvivier. E não se pode dizer que ser humorista é uma profissão sem riscos: ontem revelaram que até ameaças de morte receberam.

portadosfundosfoxpt_02

Mas quais são as vantagens de trazer os sketches para a televisão?

“Você já imaginou o que é poder constrangir toda a sua família?” – questionou na brincadeira Tabet. A verdade é que a Porta dos Fundos quer atingir “mais público”. “Há muita gente que não sabe ir ao YouTube ainda”, explicou o humorista, esperando que este Porta na TV abranja um público mais lato, incluindo as camadas mais velhas da sociedade que não têm tanta facilidade de acesso à internet. Na verdade, o elenco considera que não está a sair da internet para ir para a televisão: “é tudo audiovisual”, considera Gregório que crítica os agentes do mercado que ainda não conseguem pensar assim.

A conversa desvia para os humoristas portugueses que conhecem: António Raminhos está na área, presente para ver o elenco da Porta dos Fundos, mas os mais citados são Ricardo Araújo Pereira e César Mourão. Principalmente Gregorio disse ser fã dos Gato Fedorento e que começou a gostar ainda mais quando conheceu Ricardo Araújo Pereira: “uma vez cheguei ao hotel cá em Portugal e tinha um baú cheio de coisas portuguesas”, diz entre risos ao lembrar-se do cabaz que o humorista português lhe oferecera. Mas foram referidos mais nomes: João Quadros, Bruno Aleixo e Salvador Martinha estão também entre os conhecidos da Porta dos Fundos.

No final da apresentação, depois de uma votação entre os presentes, foi seleccionado para visionamento o sketch “Quem Manda”:

“A FOX não vê o que a gente faz”

A Porta dos Fundos é o primeiro conteúdo em português no canal FOX Portugal. Apesar de outros canais irmãos já terem produzido conteúdos nacionais, tal como a FOX Life fez recentemente com a “Guerra dos Pratos” com Cláudia Semedo, esta é a primeira vez que a FOX-mãe investe num programa assim. Mas este acordo não foi ao acaso. Foi a FOX Brasil, onde a série também é exibida, quem começou a relação com a equipa da Porta dos Fundos. Ironicamente, a primeira porta onde Fábio Porchat, ausente nesta conferência de imprensa, foi bater para pedir ajudar para a Porta dos Fundos foi à FOX Brasil, tendo na altura o canal rejeitado. “Mas isso é normal! É difícil ver isso funcionar no papel”, explicou Gregorio Dudivier.

Agora, a Porta dos Fundos está até a preparar uma série exclusiva para a televisão: vai ser mais forte, disseram todos, mostrando reticência quanto à exibição de alguns sketches já feitos. “A FOX não vê o que a gente faz”, disse logo Ian SBF, possivelmente a brincar, possivelmente a falar a sério. A verdade é uma: “não há assim tanta diferença entre a internet e a TV”, considerou António Pedro Tabet. A liberdade criativa vai continuar lá, asseguram, até porque nunca precisaram da televisão, acrescentou a certa altura Ian. Para 2016 ficou prometida uma série de animação, ao jeito de American Dad.

Em entrevista ao Shifter após a conferência de imprensa, o director de conteúdos dos canais FOX, Gonçalo Moura, explicou como é que esta ideia surgiu: “nós costumamos ter encontros anuais com os directores de programação mundiais onde cada um conta aquilo que anda metido e o meu colega no Brasil disse que estava a negociar com a Porta dos Fundos”. Moura explicou ao Shifter que a legislação do Brasil é diferente. “No Brasil, todos os canais de payTV têm uma quota de produção e são obrigados a produzir e a investir” em conteúdos nacionais, daí o aparecimento desta série na FOX Brasil.

“De há uns tempos para cá que temos direcções, uma estratégia clara, de aumentar a produção”

A ideia de trazer o elenco a Portugal é facilmente perceptível, mas a ideia da antestreia já foi mais inusitada, tal como Gonçalo Moura revelou ao Shifter: “Isto é uma ideia muito antiga que nós temos (…) quando lançámos em 2007 o FX também nestas partilhas de informações internacional houve uns colegas que fizeram um evento, que não é igual mas foi parecido, no lançamento de uma temporada de Family Guy”. A ideia ficou plantada na cabeça de Moura e há sete anos que o director queria implementá-la no canal que lidera. “De repente, o Porta é o conteúdo ideal para criar um evento – o Dia Nacional da Ressaca -, um dia em que normalmente as pessoas estão rebentadas do dia anterior, passam o dia na «ronha» ou deitadas no sofá…”, completou Gonçalo Moura.

Em aberto fica produção realmente nacional, no mercado português: “de há uns tempos para cá que temos direcções, uma estratégia clara, de aumentar a produção (…) já o fizemos com o 24 Kitchen, mas agora estamos a tentar alargar para os nossos canais de entretenimento”, explicou ao Shifter, não escondendo que esse interesse pode não ser para já. “É preciso encontrar os produtos certos, os valores de investimento que, ao nível de standard da FOX, são valores superior aos produtos comprados”, conclui.

A antestreia é emitida numa terça-feira mas a série vai ser exibida às segundas-feiras, às 23h. O primeiro episódio, após a antestreia, vai para o ar no dia 23 de Fevereiro. A emissão da série em Portugal é patrocinada pela Green, Mini e a Vodafone.

Se não conseguirmos aumentar o número de patronos, a 2ª edição da revista será a última, e o Shifter como o conheces terminará no final de Dezembro. O teu apoio é fundamental!