A sabática dos Modest Mouse chegou ao fim


Os Modest Mouse vão voltar este ano com o disco Strangers to Ourselves, depois de uma pausa de 8 anos. Até agora foram lançados três singles, “Lampshades on Fire”, “Coyotes” e “The Best Room”, assim como o alinhamento do álbum.

A banda americana editou We Were Dead Before the Ship Even Sank em 2007 e desde então, com a excepção do lançamento do EP No One’s First and You’re Next em 2009, pouco se tinha ouvido falar sobre estes indie rockers. Num período marcado por vários comebacks (pense-se em Pink Floyd, Aphex Twin e The Vaselines), o regresso de Modest Mouse não é apenas mais um entre muitos; é o reaparecimento de uma das bandas de rock indie mais importantes da década de 90, que até agora tinha andado desaparecida do radar.

Originada em 1993 em Washington, a banda liderada pelo carismático Isaac Brock foi extremamente influente no desenvolvimento do rock alternativo na segunda metade da década de 90, editando o icónico The Lonesome Crowded West em 1997. Louvado pelas letras honestas de Brock e pelo instrumental agressivo, este álbum manteve-se como um marco incontornável do indie rock até aos dias de hoje.

Os álbuns seguintes continuaram a gozar do mesmo sucesso e da mesma recepção por parte dos críticos e do público, até Good News for People Who Love Bad News, onde a banda abandonou a sonoridade lo-fi até aí característica e optou por uma melhor produção em estúdio. O resultado foi um álbum que polarizou a crítica mas de onde a banda retirou o single através do qual a maior parte das pessoas os conhece, “Float On”.

É sempre uma questão delicada quando bandas consagradas lançam um novo álbum depois de muito tempo aposentadas. Existem casos de sucesso, como é o caso de Third, o álbum que marcou o regresso dos Portishead – 11 anos após o último trabalho – e que foi considerado por muitos como um dos melhores álbuns de 2008, mas por vezes assiste-se também a situações em que seria melhor deixar em paz o legado musical da banda, como aconteceu com o álbum What The… dos Black Flag; algum tempo depois do lançamento desse disco, a banda veio publicamente pedir desculpa aos fãs por o ter editado.

Até agora, os três singles que acompanham Strangers to Ourselves são promissores, mas só vamos saber quão pertinente é este regresso no dia 17 de Março, altura em que o disco vai ser lançado.

Strangers to Ourselves:

  1. “Strangers to Ourselves”
  2. “Lampshades on Fire”
  3. “Shit in Your Cut”
  4. “Pistol (A. Cunanan, Miami, FL. 1996)”
  5. “Ansel”
  6. “The Ground Walks, with Time in a Box”
  7. “Coyotes”
  8. “Pups to Dust”
  9. “Sugar Boats”
  10. “Wicked Campaign”
  11. “Be Brave”
  12. “God is an Indian and You’re an Asshole”
  13. “The Tortoise and the Tourist”
  14. “The Best Room”
  15. “Of Course We Know”