Google, Microsoft e Amazon estão a pagar para o AdBlock Plus não bloquear os seus anúncios


A startup alemã Eyeo, responsável pelo software AdBlock Plus, está a receber dinheiro da Google, da Microsoft e da Amazon para que os anúncios destas empresas não sejam bloqueados. A informação é avançada pelo Financial Times.

O AdBlock Plus (atenção: não confundir com AdBlock) é uma extensão gratuita para os browser Firefox e Chrome que permite bloquear os anúncios que aparecem nos websites. Utilizada mensalmente por 50 milhões de utilizadores, o AdBlock Plus já teve mais de 300 milhões de downloads, de acordo com dados da Eyeo. [Nota: o AdBlock – sem “Plus” – foi criado por um programador para funcionar nos browsers Chrome e Safari, numa altura em que o AdBlock Plus só funcionava no Firefox.]

De acordo com o Financial Times, mediante um pagamento de 30% das receitas de anúncios não bloqueados à Eyeo, as empresas Google, Microsoft e Amazon estão a contornar o AdBlock Plus: os seus anúncios estão a ser considerados pelo software como válidos e não intrusivos.

Ao que parece, esta prática da Google, da Microsoft e da Amazon é legítima. Existe uma espécie de “lista branca” do AdBlock Plus, uma lista onde qualquer empresa pode entrar se cumprir um conjunto de requisitos ao nível da publicidade online, como transparência e não desvirtuar o conteúdo da página onde está inserida. A Eyeo nunca revelou a quantidade de dinheiro que recebe das empresas para não bloquear os seus conteúdos.

Segundo o Financial Times, a Eyeo pode ter um problema ao estar a tentar criar uma empresa financeiramente sustentável e ao mesmo tempo a deixar passar alguns anúncios, correndo o risco de “incomodar” os seus utilizadores.