Os anúncios do Super Bowl XLIX: os “50cents” do Shifter


Listas e mais listas, tops e mais tops. O Shifter não fez listas nem tops dos melhores anúncios do Super Bowl. Mas quisemos falar sobre alguns deles. Estes foram os que, para o bem ou para o mal, nos deram vontade de dizer qualquer coisa.

 

Chevrolet – “You Know You Want a Truck”

Este foi o anúncio que praticamente deu um ataque cardíaco a todos os habitantes dos Estados Unidos. A McCann e a Chevrolet definitivamente marcaram uma posição e deram-nos, sem dúvida, um dos melhores anúncio da noite e um dos mais falados nas redes sociais. You know you want a truck, don’t you?

 

Esurance – “Sorta”

Três anúncios que provam que a publicidade das seguradoras não tem de ser aborrecida. Um conceito flexível, inteligente e relevante para o target que resultou muito bem com o tom humorístico escolhido pela Leo Burnett. Como se isso não bastasse, temos Walter White (ou devemos dizer Heisenberg?), e ainda Lindsay Lohan a ridicularizar-se a si própria. Como não gostar?

 

Mophie – “All-Powerless”

A Mophie tem sem dúvida um dos twists mais surpreendentes deste Super Bowl, levando-nos por uma aventura pelo Apocalipse. Com grandes efeitos visuais a empresa toca num grande insight: “quando o telemóvel fica sem bateria, só Deus sabe o que pode acontecer”.

 

Dodge – “Wisdom”

A agência The Richards Group soube como aproveitar os anos de experiência da Dodge, associando-a de uma forma forte e emotiva ao que os mais velhos têm para nos ensinar. O resultado foi um anúncio distinto e que nos conquista pelo coração.

 

Kia – “The Perfect Getaway”

A David&Goliath mostrou-nos Pierce Brosnan com uma imaginação “demasiado formatada” no anúncio do novo Kia Sorento. Com um tom humorístico e uma execução bem conseguida, este foi certamente um dos bons momentos da noite.

 

Avocados From Mexico – “First Draft Ever”

A empresa Avocados From Mexico mostrou-nos “o grande Draft do ano”, numa clara analogia do universo desportivo americano. A premissa do anúncio centra-se num draft feito “no início dos tempos” entre os vários países do Mundo, enquanto estes escolhem a sua flora e fauna, como se de equipas de futebol americano e de jogadores se tratassem. Na criação da agência GSD&M, claramente virada para o público do evento, o abacate acaba por ser a derradeira escolha do México, patrocinada por Avocados From Mexico.

 

Squarespace – “DreamingWithJeff.com”

Apesar de o filme por si só não ser espectacular, o anúncio criado pela Wieden+Kennedy ganha por fazer parte de uma campanha bem integrada e com um conceito forte – o de que até as ideias mais loucas, nascidas de um qualquer sonho, merecem ganhar vida de uma forma atractiva. Depois de ver este vídeo da Squarespace, fica difícil não ir imediatamente a www.dreamingwithjeff.com ouvir as músicas para adormecer, “na voz” de Jeff Bridges.

 

Coca-Cola – “#MakeItHappy”

Ainda que não seja um anúncio clássico da Coca-Cola no sentido em que foge um pouco ao que a marca nos habituou, não deixa de ser um conceito e movimento interessante e forte. A criatividade pertence à Wieden + Kennedy e, para acompanhar o anúncio, a marca lançou também um website que vale a pena visitar aqui.

 

Clash of Clans – “Revenge”

Podia ser mais um daqueles anúncios que os jogos geralmente fazem, com animações do princípio ao fim, mas não, e é principalmente por isso que este é dos nossos preferidos da noite. Liam Neeson dá um toque especial de humor ao anúncio criado pela Barton F. Graf.

 

Doritos – “Middle Seat”

Ainda te lembras dos anúncios para a Doritos que estariam sujeitos a votação? Este foi um dos escolhidos e, para nós, foi também uma das melhores submissões. A acompanhá-lo, mas sem direito ao prémio de 1 milhão de dólares e um contrato com a Universal Pictures, esteve a submissão “When Pigs Fly”.

 

Skittles – “Settle It”

Skittles, pela primeira vez no Super Bowl e a não desiludir. Podemos já ter visto melhor vindo “dos lados do arco-íris às bolinhas”, mas a criatividade da DDB, com natural tom humorístico, certamente arrancou gargalhadas a muitos dos espectadores.

 

Snickers – “The Brady Bunch”

A BBDO Nova Iorque recriou um episódio de “Brady Bunch” para nos mostrar, mais uma vez,  que não somos nós mesmos quando estamos com fome. E até a mais querida das miúdas se transforma no Machete, quando “tem um buraquinho no estômago”.

 

BMW – “Newfangled Idea”

Este ano, a BMW decidiu comunicar o seu novo carro elétrico, o BMW i3. Para isso, contou com a ajuda da agência KBS+ para produzir outro dos bons anúncios da noite. Fazendo o paralelismo entre o aparecimento da Internet e o aparecimento dos automóveis eléctricos, a BMW tenta dizer-nos como tudo isto é uma questão de aceitar a mudança que vem com os novos tempos.
A marca Alemã acaba por se servir dos ex-apresentadores do programa Today, Bryant Gumbel e Katie Couric, que reagem aos carros elétricos como há 21 anos atrás reagiram à Internet.

 

Loctite Glue – “Positive Feelings”

Vamos mesmo querer falar deste anúncio? Uma de duas coisas podem acontecer depois destes 30 segundos: Rimos descontroladamente e aplaudimos de pé tamanha genialidade ou simplesmente pensamos “o que raio acabei eu de ver?”. De qualquer forma, e como diriam os americanos, “you can’t unsee this”.

 

Always (P&G) – “Like A Girl”

O anúncio Like A Girl foi sem dúvida um dos melhores e mais marcantes do ano de 2014. Criado pela Leo Burnett, tornou-se rapidamente um vídeo viral e, por isso, a Always optou por fazer uma edição do mesmo para um spot de 1 minuto. Não foi uma novidade, mas não deixa de ser o primeiro anúncio de uma marca de higiene feminina no Super Bowl, com uma mensagem de cariz social bem vincado.

 

Budweiser – “Lost Dog”

Apesar de a Budweiser ter tido, para muitos, o melhor anúncio do Super Bowl no ano passado, o deste ano peca precisamente pela ligação ao da edição passada. Para além de não nos trazer nada de novo na relação dos #BestBuds, a história está algo aborrecida e pouco tem a oferecer à marca.

O anúncio da GoDaddy, que aproveitava (de forma satírica) o impacto da história do cãozinho e do cavalo trazida no ano passado, acabou por ser um dos mais falados ainda antes do dia do grande jogo. As reacções não foram nada positivas e a marca acabou por decidir não exibi-lo. Tentando remediar a situação, apresentou-nos um anúncio fraco, que parece ter sido produzido numa tarde. Algo que até nem seria obrigatoriamente sinónimo de um mau anúncio, caso este fosse suportado por uma boa ideia. Mas, decididamente, este não foi um bom ano para a GoDaddy.

 

Bud Light – “Real Life PacMan”

Ainda que não esteja ao nível do anúncio do ano passado, a produção está incrível e o conceito da marca bem presente.
A nostalgia é uma clara tendência e a Bud Light conseguiu misturar o melhor dos dois mundos: a tecnologia de hoje com o início da era dos jogos. Isto tudo com uma grande festa à medida da Bud Light (e alguns momentos com cheirinho a “fake”).

 

Nationwide – “Make Safe Happen”

Este é, provavelmente, um dos piores anúncio do Super Bowl. Convém que saibamos abordar assuntos sensíveis como este e, neste caso, o resultado ficou entre o assustador e o macabro. O “murro no estômago”, que seria o principal objectivo da campanha, até está lá. Mas falta algo a que nos possamos agarrar para recuperar. Na internet, as reacções negativas ao anúncio não se fizeram esperar e, num tom mais funny, até já existem tweets como este a ridicularizar a situação:

 

Fiat – “The Blue Pill”

Este anúncio do Fiat 500X é mais um dos que chegaram ao Super Bowl sem ser novidade. É difícil que passe despercebido, nem que seja pela “piada semi-sexual” que tenta passar, mas… Será bom o suficiente para estar entre os melhores?

Microsoft – “Estella’s Brilliant Bus” e “Braylon O’Neill”

A gigante da tecnologia não conseguiu surpreender com nenhum dos dois anúncios. O conceito não é mau, já que a Microsoft acaba sempre por se centrar não na sua tecnologia mas naquilo que conseguimos fazer com ela, no entanto, é uma abordagem já demasiado vista. Entre os 2, safa-se “O Autocarro da Estella”. Boa sorte para o próximo ano, Microsoft.

 

Antecipando precisamente a próxima edição do Super Bowl – ou dos anúncios que vemos nos intervalos, neste caso – espera-se que, no geral, a qualidade suba para os níveis que nos tem habituado. A edição número 50 de um dos maiores eventos desportivos do mundo merece ser celebrada não só com um bom jogo, como também com tudo o que faz parte deste enorme acontecimento desportivo, cultural e financeiro.

 

(João Pimpão Martins e Miguel Mestre contribuíram para este artigo)