O que um dos homens mais importantes da Google veio fazer a Barcelona


Sundar Pichai é um dos homens mais importantes da Google; tem nas mãos o Android e o Chrome, mas também praticamente tudo o que a Google faz, como o Search, o Gmail ou o Maps. Em Barcelona, Pichai falou de um sistema de pagamentos móveis chamado Android Pay, detalhou como a gigante de Mountain View pretende colocar todo o mundo online e confirmou que em breve a Google também vai ser uma operadora móvel virtual.

A Google tem 3 projectos para conectar o mundo: o Google Fiber, o Project Titan e o Project Loon. O primeiro está focado nas áreas urbanas e consiste em equipar essas zonas com uma rede de fibra óptica de alta velocidade. O Project Loon, por seu lado, destina-se a áreas rurais e funciona com balões. “Muitos dos nossos balões ficam no ar durante mais de 6 meses”, lembrou Pichai. O Project Titan é basicamente uma versão do Loon com aviões movidos a energia solar.

“Estamos a trabalhar em projectos de larga escala para levar Internet aos 4 mil milhões que hoje ainda não a têm”, sintetizou o executivo.

No MWC 2015, Sundar Pichai não falou só do trabalho da sua empresa para conectar o mundo. Traçou alguns elogios ao Galaxy S6 (tinha um no bolso) – “acertaram em muitas coisas, como o design” –, e defendeu a abertura da plataforma Android. Para Pichai não é um problema ver o S6 ter apps da Microsoft pré-instaladas. “O Android é desenhado para as fabricantes e as operadoras escolherem o que é melhor para os utilizadores”, disse. “Gostamos de ver os serviços da Google, é claro, mas as fabricantes e as operadoras são livres de decidir o que incluir nos seus equipamentos.”

Pichai confirmou ainda três rumores: o fim do Google+, o desenvolvimento do sistema de pagamentos chamado Android Pay e a criação de uma operadora móvel virtual.

Android Pay

A Google está a desenvolver um sistema de pagamentos chamado Android Pay, que não vai ser propriamente um produto para o consumidor final, mas sim uma API que as empresas podem implementar nos seus produtos e serviços. “Estamos a desenvolver o Android Pay de forma a permitir que qualquer outra pessoa possa desenvolver um sistema de pagamentos em cima do Android”, referiu Sundar Pichai.

O executivo não detalhou o Android Pay, mas disse que a ideia é que esta API seja o mais abrangente possível: a empresa vai começar pela tecnologia NFC, mas o Android Pay poderá suportar também sensores biométricos.

O Android Pay não vai ser um concorrente do Samsung Pay. Sundar disse que a Google e a Samsung estão em “timelines diferentes” e que é intenção da primeira trabalhar em conjunto com a segunda para encontrar sinergias. E “do ponto de vista do utilizador, o Samsung Pay é uma coisa e o Google Wallet é outra”, mas do ponto de vista do programador, a Google quer que ambos usem a API Android Pay.

Uma operadora de telecomunicações chamada Google?

A Google também quer ser uma operadora móvel virtual. Está a trabalhar com alguns parceiros e deve lançar o novo serviço “nos próximos meses” nos Estados Unidos. “Estamos numa fase em que temos de pensar no hardware, no software e na conectividade juntas”, disse Sundar Pichai. “Não queremos ser uma operadora grande” como uma Verizon ou uma AT&T.

De acordo com o executivo da Google, o principal objectivo de criar uma operadora móvel é estimular a inovação. O modelo vai ser igual ao dos Nexus. “Não queremos fazer o Nexus em larga escala. Fazemo-los para introduzir algumas ideias nossas para a indústria móvel”, explicou. Que ideias? Por exemplo, suavizar a ligação entre dados móveis e redes wi-fi, evitando perdas de ligação em chamadas.

A operadora móvel da Google vai ser lançada para um grupo restrito de pessoas, tal como os Nexus, permitindo que as grandes operadoras vejam as inovações que ela oferece e as incorpore nos seus produtos.