Sonda da NASA identifica aurora marciana


A sonda MAVEN que orbita em torno de Marte registou dois fenómenos singulares na atmosfera do nosso vizinho planeta: uma nuvem de poeiras e uma aurora ultra-violeta.

A MAVEN, Mars Atmosphere and Volatile EvolutioN Mission, é uma sonda que foi  lançada em 2013 e chegou a Marte em Setembro de 2014 para estudar a atmosfera deste planeta. A atmosfera em questão é bastante diferente da da Terra, sendo constituída principalmente por dióxido de carbono, que representa 96% da totalidade dos gases em Marte. A sonda pretende analisar a composição actual da atmosfera, nomeadamente detectar a quantidade de gases que esta vai perdendo, mas também perceber como era a atmosfera há milhões de anos e se esta foi densa e quente o suficiente para ter permitido a presença de água no estado líquido.

mavenauroramarciana_02

Por enquanto, a MAVEN detectou dois fenómenos particularmente interessantes e estranhos. O primeiro, uma nuvem de poeiras, merece realce não porque seja um fenómeno raro mas sim porque os cientistas não fazem ideia de onde aquelas partículas surgiram.

A nuvem está localizada na zona entre os 150 e os 300 km de altitude e está presente desde que a sonda chegou ao Planeta Vermelho. Os cientistas ainda não sabem se se tratará de um fenómeno passageiro ou permanente.

Mas o que mais intriga os astrónomos é a sua origem. Várias hipóteses foram aventadas, desdeo facto de as partículas se originarem a nível atmosférico, ou numa das luas de Marte (Phobos e Deimos) ou ainda a hipótese de as partículas terem sido formadas noutro sítio qualquer e depois terem sido arrastadas para Marte pelos ventos solares.

Contudo, os astrónomos da NASA reconhecem que não há nenhum fenómeno conhecido em Marte que pudesse causar aquela nuvem de poeira e explicar como ela teria ido parar àquele lugar. “Se a poeira se origina na atmosfera, isto implica que nos está a escapar algum processo fundamental na atmosfera marciana” declarou Laila Anderson do Laboratory for Atmospherics and Space Physics da Universidade do Colorado.

O outro fenómeno curioso observado pela MAVEN trata-se de uma aurora originada na atmosfera no hemisfério norte marciano. Esta aurora – no espectro da radiação ultra-violeta – iluminou Marte durante cinco dias aquando do Natal de 2014, tendo sido por isso batizada como “Luzes de Natal”.

mavenauroramarciana_03

O fenómeno foi captado pelo Imaging Ultraviolet Spectrograph a bordo da MAVEN. É uma situação visualmente bonita e cujo mecanismo é o mesmo responsável pelas auroras que ocorrem nos pólos terrestres: as partículas com carga transportadas pelos ventos solares interagem com as moléculas da atmosfera, provocando a sua ionização e libertação de energia que é responsável pelo o espetáculo colorido característico das auroras.

Apesar de o mecanismo ser o mesmo, há uma diferença importante entre o Planeta Azul e o Vermelho que reside na presença de uma magnetosfera.  Na Terra a nossa magnetosfera proteje-nos desta partículas, impedindo que penetrem nas regiões mais baixas da atmosfera. Contudo, Marte não possui magnetosfera, logo os cientistas verificaram que a aurora se encontrava bem mais perto da superfície.

Por ora a MAVEN continuará a orbitar em torno de Marte e a fornecer-nos mais informações que nos permitam em breve realizar o próximo grande passo da exploração espacial: colocar um Homem em Marte!