A comédia regressa ao jardim do NOS Alive


 
O Shifter precisa de dinheiro para sobreviver.
Se achas importante o que fazemos, contribui aqui.

O Jardim Caixa está de regresso ao Passeio Marítimo de Algés com um cartaz de luxo. Herman José, Francisco Menezes, Jean Carreira, Hugo Rosa, Rui Xará, Jorge Picoto e Rita de la Rochezoire são os nomes que farão parte do alinhamento de dia 10 de Julho.

O Jardim Caixa, palco do banco oficial do festival, a Caixa Geral de Depósitos, irá acolher pelo segundo ano consecutivo uma zona de stand up comedy, que tem como objetivo receber alguns dos maiores humoristas nacionais. Além deste espaço inovador, a Caixa irá contar novamente com uma área exclusiva para convidados.

Herman José dispensa apresentações. Considerado o maior entertainer português de sempre, conta no seu curriculum com alguns dos mais bem sucedidos programas e talk-shows de humor feitos em Portugal. O Tal Canal, Hermanias, Herman Enciclopédia são exemplos que marcaram toda uma geração e um país. Desde há mais de uma década que concilia a apresentação constante de programas em jeito de talk show, com a actuação ao vivo, percorrendo todo o país e comunidades com o seu humor transversal. Actualmente a apresentar o programa Há Tarde nas tardes da RTP1, demonstra o seu excelente estado de forma, como referência no entretenimento e na espontaneidade e cultura necessárias para a condução de um programa diário.

Francisco Menezes, que se junta a Herman José no segundo dia do NOS Alive’15, ficou conhecido pelas suas várias presenças no Levanta-te E Ri, mas começou a sua carreira no canal NTV (agora RTP Informação) com dois programas de humor, de autoria e interpretação sua, o N Cromos e O Desterrado, tendo depois passado pela RTP com outro programa seu, Portugal FM. Antes disso fez rádio, cantou em casinos, e até trabalhou na secção de congelados do Continente. Diz-se que “é o artista quase total. Tem uma grande voz, é engraçado como o caraças e o seu texto é muito bom. Só lhe falta depilar as pernas”.

O mais recente fenómeno da música portuguesa, Jean Carreira, criado pelo humorista Vasco Duarte, rapidamente se tornou um culto através das redes sociais. Trata-se do filho perdido de Tony Carreira, fruto de uma relação do cantor nos seus tempos de emigrante no Luxemburgo. Jean Carreira voltou a Portugal para conhecer e estar com o seu pai, mas a relação não tem sido fácil. Jean usa o seu lado Carreira – o talento musical – para comunicar com o pai, através das suas canções. E os fãs agradecem.

No mesmo dia sobe ao palco Hugo Rosa, o comediante que se tornou viral nas redes sociais, depois de ter participado no programa Portugal Got Talent, na RTP 1. O vídeo da sua actuação atingiu um milhão de visualizações. No entanto, já há uns anos que desenvolve stand up comedy por tudo o que é local de culto deste estilo de comédia.

Rui Xará, um dos pioneiros na arte da stand up comedy em Portugal, é outro dos nomes que se junta ao cartaz de dia 10. O comediante, que este ano está a comemorar 14 anos de percurso profissional, já conta com cerca de mil e quinhentas actuações por todo o País. As várias participações televisivas e a organização de alguns dos mais relevantes eventos de humor nacionais, são um cartão de visita ímpar, mas exaustivo para se conseguir descriminar.

O actor e comediante Jorge Picoto é outro dos nomes que certamente fará rir os visitantes do Palco Comédia. Picoto tem desenvolvido stand up comedy e não só, foi intérprete recentemente do elenco da peça A Culpa É Do Mordomo, que esteve em cena no Chapitô.

Este ano o Jardim Caixa volta a receber em palco o desafio “Faz Comédia no Jardim Caixa”, que dará a oportunidade a novos talentos da comédia nacional de subirem ao Palco Comédia, ao lado de alguns dos melhores humoristas portugueses. Para moderar e apresentar os vencedores do desafio, o Jardim Caixa contará com a cara conhecida da televisão nacional, Rita de la Rochezoire.

O Passeio Marítimo de Algés vai receber o NOS Alive’15 nos dias 9, 10 e 11 de Julho. Os bilhetes do festival encontram-se à venda nos locais habituais.

Se não conseguirmos aumentar o número de patronos, a 2ª edição da revista será a última, e o Shifter como o conheces terminará no final de Dezembro. O teu apoio é fundamental!