Como as gigantes tecnológicas estão a ajudar os sobreviventes do sismo do Nepal


Os números oficiais já apontam para 3 700 mortes e 6 535 feridos na sequência do violento sismo que ocorreu este sábado no Nepal. Uma catástrofe que não deixou ninguém indiferente, nem tão pouco as grandes empresas de tecnologia. O Viber, por exemplo, tornou gratuitas todas as chamadas feitas via app para o Nepal e a partir do Nepal.

O Skype, empresa da Microsoft, anunciou hoje uma iniciativa semelhante: ligar para números fixos e móveis do Nepal é agora gratuito. O objectivo é facilitar o contacto entre as vítimas do desastroso sismo e os seus familiares e amigos.

O Facebook, por seu lado, já tinha activado a opção Safety Check, mas a maior rede social do mundo decidiu ir mais longe com uma campanha global de angariação de fundos.

No topo do News Feed dos seus mais de 1,44 mil milhões de utilizadores, está a pedir doações para a International Medical Corps (IMC), uma organização não governamental que está com equipas de emergência médicas a prestar auxílio nas regiões do Nepal mais afectadas pelo sismo. O Facebook promete converter as doações dos utilizadores em até 2 milhões de dólares e distribuir o valor total pelas IMC.

fbnepaldoacoes

A Google também não se ficou indiferente à catástrofe. Através da ferramenta Google Finder, criada em 2010, a gigante está a criar uma base de dados, em tempo real, das pessoas desaparecidas no sismo. Em menos de dois dias, registaram-se mais de 4.800 afetados com base em informações recolhidas de organizações não governamentais, meios de comunicação social e autoridades locais.

gfindernepal

O Google Finder – que já foi usado em outros acontecimentos como o terramoto no Haiti de 2010, o sismo do Japão de 2011 e o atentado de Boston de 2013 – não é muito diferente do Safety Check do Facebook. Contudo, a ferramenta de Zuckerberg usa o gráfico social dos amigos e familiares para construir essa base de dados.

Os utilizadores cujos perfis e informações de localização recolhidas através dos seus telemóveis indiquem estar na área afectada pelo sismo do Nepal receberam uma notificação a pedir para partilhar o seu estado com os amigos, dizendo-lhes que estão são e salvos. “É uma forma simples de dizer à família e aos amigos que estás OK”, refere Zuckerberg na sua página de Facebook, num post em que indica a activação da funcionalidade para este desastre natural.

De acordo com a empresa, milhões de utilizadores no Nepal, Índia, Bhutan e Bangladesh usaram o Safety Check para dizer estar OK e muitos milhões de utilizadores noutras partes do mundo receberam notificação de que os seus contactos estão OK.

Por sua vez, a Apple activou um link que redireciona os utilizadores do iTunes para uma página onde podem deixar doações para a Cruz Vermelha norte-americana. Os fundos recolhidos ajudarão as vítimas nepalesas.

O sismo, de magnitude 7,8 na escala de Richter, foi registado no sábado e teve o epicentro a cerca de 80 quilómetros da capital nepalesa de Katmandu. O abalo foi sentido noutros países, como Índia, Bangladesh e China, e provocou avalanchas nos Himalaias. Fortes réplicas foram sentidas durante o dia de domingo.