Filmes de Manoel de Oliveira em exibição em Portugal e fora dele


Um pouco por todo o país vão ser exibidos filmes de Manoel de Oliveira numa homenagem ao cineasta, falecido na última quinta-feira. O Cinemas NOS, a UCI Cinemas e o Cinema Ideal, por exemplo, associam-se para exibir versões restauradas e remasterizadas em alta definição de alguns dos seus filmes. Aniki-Bóbó, Douro Faina Fluvial, Acto da Primavera e A Caça. vão estar nas salas de 9 a 22 de Abril.

Os filmes serão exibidos em sessões especiais no Porto (Cinemas NOS Amoreiras, Cinemas NOS Dolce Vita) e em Lisboa (UCI Cinemas El Corte Inglês, UCI Cinemas Arrábida Shopping e Cinema Ideal). Estas são as datas:

  • 9 a 15 de Abril: Aniki-Bobó e Douro Faina Fluvial
  • 16 a 22 de Abril: Acto da Primavera e A Caça

Para detalhes sobre estas sessões, aconselhamos o contacto junto das salas anteriormente indicadas ou do número 16996 (Cinemas NOS).

Braga e Barcelos, também!

Mas não só nas grandes cidades se vai homenagear Manoel de Oliveira. Em Barcelos, a Associação Cultural ZOOM vai promover de 12 a 26 de Abril três sessões de cinema de entrada gratuita, com início marcado para as 16 horas:

  • 12 de Abril: Um Filme Falado
  • 19 de Abril: Vale Abraão
  • 26 de Abril: Aniki-Bobó

Já em Braga, o elogio à infância – que é, como quem diz, o Aniki-Bobó – vai ser exibido às 10 horas de dia 23 de Abril na Escola Francisco Sanches. A sessão, promovida pelo Cineclube Aurélio Paz dos Reis, enquadra-se nas comemorações de abertura das novas instalações desta escola bracalense.

A homenagem estende-se a França

Em França, onde estrearam muitos dos seus filmes, Manoel de Oliveira foi recordado com pesar, com várias figuras públicas e organismos culturais a lamentarem a perda para a cultura e para o cinema. O Cinéma le Grand Action, em Paris, decidiu homenagear o realizador português com uma semana de exibições regulares do cinema de Oliveira.

A partir de quarta-feira e até ao dia 14 serão recordados na capital francesa filmes como O Gebo E A Sombra, última longa-metragem de Manoel de Oliveira, Aniki Bobó, primeira longa de ficção, e O Estranho Caso De Angélica, no qual recupera um projeto com mais de 50 anos. A estes juntam-se O Acto Da Primavera, Belle Toujours, Cristóvão Colombo: O Enigma, Francisca, Benilde Ou A Virgem Mãe, O Passado E O Presente, Singularidades De Uma Rapariga Loura e, a terminar, O Espelho Mágico.

 

Se não conheces a obra de Manoel de Oliveira, este mês é uma boa oportunidade para tal. Seja em Lisboa, no Porto, em Barcelos, em Braga ou em Paris.

Actualizaremos este artigo se tivermos conhecimento de outras sessões.