Maria & Joana: de trabalho académico a comunidade de Facebook


Começou com um trabalho de faculdade e hoje é uma comunidade de Facebook com quase 30 mil pessoas. “No meu último ano de faculdade foi-me pedido um projecto para a cadeira de Audiovisual e Multimédia, que requeria a produção de uma infografia em formato vídeo”, explica Diogo Azevedo, que concluiu em 2013 o curso de Design de Comunicação na Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa.

“O tema era livre, mas o critérios eram claros: sintetizar informação e comunicá-la através de metáforas visuais, aliando vídeo, texto e som”, esclareceu o jovem lisboeta de 23 anos. Era a primeira experiência de Diogo com vídeo e, à falta de ideias, o prazo para entregar o trabalho apertou. “Decidi que deveria abordar uma temática provocativa, que cativasse a atenção e com a qual tinha alguma experiência: o consumo de marijuana.”

O vídeo está publicado desde 2012 na plataforma de streaming Vimeo e conta com a voz da prima Joana Viana e o rosto da Maria Lopes, outra prima, e da amiga Madalena Veiga (Joana). “Expliquei-lhes a ideia, ofereci-lhes um cigarro enrolado e pedi-lhes que se pusessem confortáveis enquanto as filmava”, conta. “Depois de uns acertos no texto, um corte e costura e algumas noites em branco, a Maria e a Joana ganharam vida.”

Diogo explica que procurou fugir aos clichés e abordar o tema com o cuidado e a sensibilidade que ele merece, até porque existe uma polaridade de opiniões associada ao consumo da cannabis. “Percebi que devia afastar os pressupostos inerentes ao consumo de drogas leves e apresentar uma óptica fresca, livre de preconceitos. Propus-me a desenvolver o projecto com um tom leve e humorístico, face às infografias tradicionais mais formatadas, e apresentar não só dados estatísticos como também percentagens e números claramente fictícios”, explica.

mariaejoana_02

O trabalho foi bem recebido na faculdade e na internet. A receita pode ter estado na perspectiva pessoal, “contada por quem usufruiu de experiências positivas do consumo de erva”, e sem tabus com que o tema foi abordado – numa altura, recorde-se, em que a marijuana era algo pouco falado. “Fiquei espantado (e muito feliz) com a quantidade de partilhas e visualizações que obtive num curto de espaço de tempo. Nunca antecipei que a audiência se expandisse para além dos meus colegas de turma e do meu grupo de amigos. Alguns amigos comentavam que o vídeo tinha suscitado alguma aceitação por parte de familiares que dantes criticavam o assunto.”

O sucesso do vídeo foi tal que, quase um ano depois de ter sido publicado, continuou a ganhar novos adeptos e foi isso mesmo que motivou Diogo a criar uma página de Facebook, que funcionasse como uma extensão do vídeo e ao mesmo tempo uma comunidade de debate. Assim, nasceu o Facebook Maria & Joana“Entre conteúdo original, partilha de notícias e outras publicações relevantes, tentamos arranjar um equilíbrio entre informação e entretenimento, e manter sempre o tom humorístico e descontraído”, refere.

mariaejoana_03

Diogo Azevedo, que terminou recentemente um estágio em design gráfico e que divide o seu tempo entre trabalhos freelance e um projecto de música electrónica chamado Orpheu, tem uma visão muito própria da questão da marijuana e da problemática da legalização, e como estes dois pontos se cruzam com o presente e o futuro da página de Facebook Maria & Joana:

“Se hoje ligo a televisão e sou bombardeado com imagens que me tentam vender saúde, felicidade e bem-estar, porque não dar tempo de antena a um produto que se tem vindo a justificar cada vez mais proveitoso e benéfico à saúde? Porque é que aceitamos com tanta indiferença mensagens publicitárias sobre bebidas alcoólicas, todas elas tão casuais e optimistas, quando conhecemos bem os seus efeitos nefastos que muitas vezes resultam em casos fatais?”

O objectivo da Maria & Joana passa por disseminar os factos, abolir a especulação e gerar um espaço livre de controvérsias, não só para o consumidor, mas para os restantes indivíduos que participam no debate público. Não pretendemos activar um movimento pro-legalização, nem temos qualquer agenda política. Antes de ser um problema legal, este é um assunto social. O preconceito vive no entendimento das pessoas, e parte de quem o pratica, largamente influenciado por histórias mal contadas e opiniões pouco ou mal informadas. É isto que precisamos de combater – a ignorância e a discriminação.

Podia continuar por citar todas as provas e exemplos actuais que demonstram as vantagens da legalização, mas o espaço é pouco e o Google é uma ferramenta fantástica. Acredito que o futuro passa pela educação, pelo respeito e pela aceitação, e espero que esta plataforma possa vir a promover um diálogo consciente e informado (e que, a seu tempo, nos conduza a uma resolução justa e sensata). É neste âmbito que pretendemos crescer. Temos muitos planos no horizonte, mas pouco tempo para os pôr em prática. Por agora estamos a trabalhar num novo vídeo (há muito prometido) que irá servir como o primeiro de uma série (se o nosso entusiasmo for recíproco). Mas a ambição estende-se para além dos vídeos. No futuro queremos construir uma plataforma online dedicada exclusivamente ao consumo de erva em Portugal, um lugar que albergue informação legal, artigos de opinião, entrevistas, reportagens, notícias, e entretenimento. Um dia, quem sabe *fingers crossed* talvez seja possível criar um estabelecimento físico.”

Diogo promete dar vida às suas personagens Maria e Joana para que a cannabis não seja esquecida em Portugal. “Os argumentos não são novos, e o debate muito menos, mas estamos numa era mudança e os exemplos por todo o mundo são indisputáveis. Esperamos poder dar voz a essa mudança aqui, em Portugal. A Maria e a Joana ainda têm muito por dizer”, conclui.

mariaejoana_04