‘Monument Valley’ é um hino ao design no mundo dos jogos mobile


Estamos habituados a ver indie games receber grandes distinções e destaques por serem jogos fora do normal. As suas equipas de designers e programadores merecem todos os prémios, por terem a coragem de criar obras de arte, onde a motivação é a experiência que oferecem com o seu jogo, e não os lucros que ele gera.

Estamos a falar de jogos como o The Room ou o Blek, mas hoje apresentamos o nosso favorito: Monument Valley.

Quando o estúdio digital Ustwo decidiu lançar, em Abril do ano passado, Monument Valley teve de decidir entre ouvir os conselhos das equipas de marketing ou seguir o seu próprio instinto. Optou pela segunda via e o resultado é um dos melhores jogos que nós já vimos.

Em Monument Valley entramos num mundo irreal, onde somos uma princesa à procura de perdão e, que para isso, tem de subir até ao topo de vários monumentos. E são literalmente monumentos. Os níveis existentes no jogo são autênticos labirintos ao estilo de M. C. Escher, cheios de cor e funcionalidades escondidas, elevando assim a complexidade do jogo para um outro nível.

monumentvalley_02

Segundo Ken Wong, o principal designer do jogo, “no inicio da criação do jogo tínhamos um objectivo: que cada screenshot do jogo fosse uma obra de arte e pudesse ser pendurado numa parede”. Wong acrescenta que “é uma maneira diferente de fazer um jogo, onde a estética é o que realmente dita a experiência”. O produtor de Monument ValleyDan Gray, diz que este jogo só foi possível uma vez que na equipa de 8 pessoas, “há artistas com gosto pela programação e programadores com queda para o mundo das artes“.

O jogo foi recentemente destacado na série House of Cards, do Netflix. Apesar de não ter envolvido um pagamento directo – de ambas as partes –, o product placement garantiu um significativo aumento nas vendas do jogo. Como reporta o site AppFiguresapenas 5 horas depois da estreia da série o volume de vendas nas várias lojas (App Store, Google Play e Amazon Games) disparou.

Segundo contou Wong ao site Polygon, bastou um telefonema por parte dos produtores de House of Cards e a autorização para usarem o jogo foi dada. No episódio 5 da última temporada, Frank Underwood quer lançar um livro e para isso decide contratar um romancista, depois de ler uma review que este escrevera sobre o jogo.A review traduzida para português perde grande parte da sua hegemonia mas podes sempre ver o excerto do episódio aqui. (Não garantimos que seja spoiler free mas podemos garantir que não são reveladas coisas demasiado importantes):

“Independentemente de quem fores, ou pensares que és, acredita que também és uma princesa silenciosa. O teu nome é Aida. A tua viagem é feita através de uma paisagem esquecida, de escadarias torcidas e castelos mutantes, no topo de pedras flutuantes, entre cavernas obscuras, para finalmente atravessares um mar bravo e ruínas que M. C. Escher só conseguiria alcançar sonhando.”

Monument Valley custa 3,99 euros e está disponível no iOS, Android e Kindle Fire.

monumentvalley_03

monumentvalley_05

monumentvalley_04