Não precisas de te preocupar com o volume da música: os vizinhos não vão ouvir


O problema do volume da música é conhecido por todos nós. Ora porque a nossa mãe nos gritava, da sala, “baixa isso!” ou porque os vizinhos nos batem à porta a dizer que não conseguem dormir com o barulho das nossas colunas. Xergio Córdoba, engenheiro de som espanhol, inventou um sistema novo que permite aumentar o som sem aumentar a pressão sonora, o Masn’live.

O Masn’live funciona através de psicoacústica, baseando-se numa relação entre sensações auditivas e características do som. A percepção que o cérebro tem do volume do som é alterada de forma a que a mesma onda sonora pareça duas vezes mais alta quando a pressão sonora se mantém nos mesmos décibeis (dbA).

Córdoba deparou-se com este problema quando uma cliente sua, dona de uma discoteca no centro de Madrid, se queixou das restrições acústicas a que estes sítios estão sujeitos. As normas sobre as emissões acústicas limitam muito os níveis de pressão sonora, o que até chega a deteriorar o som.

A ideia surgiu depois de várias noites sem dormir, segundo o engenheiro contou à Vice. Mas o resultado é um sistema que permitirá aos bares, discotecas ou salas de concertos duplicar o volume sem aumentar os décibeis.

Sonoridades elevadas podem prejudicar a nossa saúde auditiva e a exposição superior a 80dB pode danificar o sistema auditivo. Por isso, ao ouvires música através de psicoacústica vais achar que o volume está muito alto mas o teu ouvido não será exposto a frequências demasiado elevadas.

Este é um sistema frequentemente usado na masterização e é um processo complexo. “Basicamente é um sistema que trata o som da mesma forma que o nosso cérebro o interpretaria e não como uma onda física. É psicoacústica pura”, explicou Córdoba à Vice.
O sistema actua através de substituição sensorial, isto é, uma tecnologia que funciona ao compensar a deficiência da percepção do som através de um dispositivo electrónico. Não previne as sequelas de exposição a valores demasiado elevados de décibeis, mas serve para que a música seja ouvida e percebida com mais volume e maior detalhe.

O Masn’live já está patenteado e, ao permitir que tudo soe melhor, mais alto, mais nítido, mais forte e sem perder detalhes, já foi aprovado por vários artistas. Foi usado em Madrid, Barcelona e Londres e, como também funciona no exterior, no Sonar Festival e no Reverse Festival.

O próximo passo é a comercialização. A dificuldade em comercializar passa por saber vender e explicar a psicoacústica a um público que não a compreende na totalidade.