Reino Unido ordena bloqueio do Popcorn Time


Um tribunal britânico emitiu, esta terça-feira, uma ordem de encerramento do Popcorn Time, também conhecido por “Netflix pirata”, no país. As operadoras de comunicações do Reino Unido têm agora de bloquear o acesso ao serviço.

Esta é a primeira vez que existe uma ordem judicial para o bloqueio do Popcorn Time, um site que permite o streaming não autorizado e gratuito de filmes e séries e que representa uma ameaça ao negócio do Netflix.

O Reino Unido vai ver o Popcorn Time bloqueado brevemente pelas principais operadoras de comunicações do país, nomeadamente a BT, a EE, a Sky, a TalkTalk e a Virgin Media. Vão ser barrados 4 sites que permitem o acesso ao Popcorn Time: popcorntime.io, flixtor.me, popcorn-time.se e isoplex.isohunt.to.

Os utilizadores britânicos não ficaram certamente satisfeitos com a decisão, que Hollywood aplaude, aguardando réplicas em outros países. De acordo com a Motion Picture Association of America (MPAA), associação que defende os interesses dos maiores estúdios americanos de cinema e que promoveu o processo, “o Popcorn Time não tem um propósito legal e só viola direitos de copyright. A ordem judicial é uma medida efectiva e proporcional para combater sites dedicados a promover e a facilitar infracções de direitos de autor online”.

Em comunicado, a mesma entidade diz que “a indústria de cinema e televisão é composta por centenas de homens e mulheres que trabalham arduamente nos bastidores para criar as histórias vibrantes e criativas que vemos nos ecrãs. Roubar este conteúdo mina o bom trabalho”.

O Popcorn Time surgiu no início de 2014 com a promessa de permitir o acesso simples e gratuito a filmes e séries. Os criadores do projecto sempre procuraram esquivar-se do “problema” da legalidade do mesmo afirmando que o Porcorn Time apenas dá uso a conteúdos que estão disponíveis na Internet, não os alojando nem monetizando.