Chorou-se a morte de Dave Goldberg, CEO da SurveyMonkey


 
O Shifter precisa de dinheiro para sobreviver.
Se achas importante o que fazemos, contribui aqui.

CEO da SurveyMonkey; marido de Sheryl Sandberg, a número 2 do Facebook; e, acima de tudo, um empresário respeitado de Silicon Valley. Aos 47 anos, Dave Goldberg morreu inesperadamente esta sexta-feira à noite, deixando parte da comunidade tech de luto.

A morte foi anunciada por Robert Goldberg, irmão de Dave, no seu perfil Facebook, que não revelou as causas do óbito. Casado com a vice-presidente de operações do Facebook, Goldberg era conhecido pelo bom humor e postura discreta. “É com incrível choque e tristeza que eu estou deixando nossos amigos e família saberem que meu fantástico irmão, Dave Goldberg, amado marido de Sheryl Sandberg, pai de dois filhos maravilhosos, e filho de Paula Goldberg, faleceu subitamente na noite passada”, escreveu Robert.

No seu livro Lean In, Sandberg atribuiu grande parte do seu sucesso ao casamento com Goldberg, que, segundo ela, a apoiou nas suas decisões de carreira e dividiu consigo a tarefa de criar dois filhos.Antes de se juntar à equipa de Zuckerberg, Sandberg foi vice-presidente dos grupos de vendas e operações online da Google e chefe de gabinete do Departamento do Tesouro durante o governo de Bill Clinton. Sandberg e Goldberg casaram-se em 2004.

Depois de fundar uma startup relacionada com música digital, a LAUNCH Media, que foi posteriormente adquirida pela Yahoo, Dave Goldberg juntou-se à SurveyMonkey como CEO. Esteve desde 2009 à frente desta empresa, avaliada em 2 mil milhões de dólares e apoiada pela Bain Capital Ventures, pela Google Ventures e pela Tiger Global, entre outras.

A SurveyMonkey – que chegou a ter a sua sede europeia em Lisboa – é responsável pelo software de questionários online mais popular do mundo, com o mesmo nome.

Dave Goldberg foi provavelmente um dos primeiro mulimilionários a dar uma palestra na Startup Lisboa, conforme conta um dos mentores da maior incubadora de empresas do país, James Page. “O David foi muito inspirador. Existiram alguns episódios curiosos como a palestra não começar por as pessoas não terem percebido que o David tinha começado. O público esperava um tipo todo bem vestido, mas o David foi modesto e estava a usar um antigo pólo”, recorda Page.

“A ocasião foi mais uma conversa que uma palestra, até porque estavam apenas cerca de 20 pessoas lá. Ele inclusive brincou dizendo que esse era o número de pessoas necessário para criar uma start-up de mil milhões de dólares. Dave referiu que, quando comprou a SurveyMonkey em 2009, ela tinha apenas 25 funcionários e estava a fazer 69 milhões de dólares receitas. Isto foi antes dos 35 funcionários do WhatsApp e dos 7 milhões do Instagram, empresas que se tornaram mesmo multimilionárias”, acrescentou.

David explicou ainda o motivo pelo qual os investidores de Silicon Valley nunca iriam investir em Lisboa: a distância é muito grande e os investidores querem estar próximos dos investimentos que fazem. “Até na América, se queres investimento deles, tens de te mover para junto deles”, refere James Page, lembrando-se dos ensinamentos de Goldberg. “Ele também falou dos perigos de ter dinheiro estupidamente investido.”

Dave Goldberg foi recordado por várias personalidades da comunidade tech, entre elas Mark Zuckerberg. O fundador e CEO do Facebook referiu-se, numa publicação no seu perfil, a Dave como “uma pessoa incrível” e mostou-se satisfeito por um ter conhecido. Zuckerberg convidou os amigos a partilhares fotos e memórias do marido de Sheryl na sua página de Facebook.

Se não conseguirmos aumentar o número de patronos, a 2ª edição da revista será a última, e o Shifter como o conheces terminará no final de Dezembro. O teu apoio é fundamental!