Fantasmas cinzentos: drones visitam cidades abandonadas


Foram a casa de milhares de pessoas, de vidas. Hoje, não são mais do que a sombra vazia daquilo que outrora foram. Graças à utilização de drones – veículos aéreos não tripulados – podemos conhecer de perto as mais marcantes cidades abandonadas, cidades onde o tempo parou.

Voaram sob o horror deserto de Auschwitz, ou sob a excessiva radiação de Chernobyl, passando ainda por Detroit, que fora antes a maior potência industrial dos EUA e que, actualmente, tem menos de metade da população que tinha em 1950. Algumas destas cidades têm contornos quase apocalípticos e não se tornam assim, num destino turisticamente aprazível. Os drones trazem então até nós imagens que dificilmente poderíamos testemunhar em pessoa. São imagens arrepiantes que espelham alguns dos momentos mais negros da humanidade.

Pripyat, Ucrânia

Depois do pior desastre nuclear da história humana em 1986, explosão da central soviética Chernobyl, restam 2,6 mil quilómetros inacessíveis ao homem. Toda a enorme extensão de terra tem níveis elevados de radioactividade e também impossibilita a vida à maioria das espécies animais. Pripyat, cidade vizinha da central nuclear, está abandonada. Nos anos 80 eram 50.000 as pessoas que habitavam a cidade. Passados 30 anos do acidente, Pripyat sucumbe ao tempo e às forças da natureza.

Detroit, EUA

A cidade, que antes era o orgulho da América industrial, ruiu. Após a revolução de 1967, inúmeros conflitos raciais, tensões políticas, e a situação de desemprego galopante, Detroit é hoje considerado o pior local dos EUA para se viver. Ficam as imagens, captada pelo drone do cineasta John Marton, que incluem locais como o teatro Eastown, Automative Packard Plant, ou Fisher Body Plant.

Auschwitz-Birkenau, Polónia

Há 70 anos que o maior campo de concentração nazi foi desocupado. Durante o regime extremista do terceiro Reich morreram, só em Auschwitz mais de um milhão de pessoas. O campo, que é agora património mundial, foi construído de raiz para albergar massas imensas de prisioneiros, na sua maioria polacos e judeus. O que permanece perpetua uma das páginas mais negras no percurso do Homem.

Tomioka, Japão

Em Março de 2011, um devastador tsunami colheu milhares de vidas quando galgou 10 km, já em terra, de solo japonês. O reactor nuclear Fukushima Daiichi foi danificado e explodiu, passando depois a libertar grandes quantidades de radiação. Tomioka, com cerca de 16.000 habitantes, foi evacuada e os seus moradores não mais regressaram às suas casas. HEXaMedia recolheu imagens de uma pequena cidade, agora deserta e fantasma. Nas imagens vê-se um grupo de pessoas: são universitários que passados 4 anos da catástrofe tentam limpar parte da cidade.

Craco, Itália

A cidade italiana está desabitada há mais de 50 anos. Craco foi fustigada por uma série de desastres naturais que levaram à sua evacuação. Hoje podemos ver parte do que ainda resiste no cimo das montanhas. A restante cidade foi engolida por derrocadas e deslizamentos de terra e está inacessível. Craco, que já foi palco das gravações de Quantum of Solace, Nativity e também Passion of the Christ, faz actualmente parta da World Monuments Fund.

Satsop Nuclear Reactor Project, Washington

No ano 1983, a construção das torres de refrigeração estava quase completa. Fazia parte do projecto Satsop Nuclear Reactor. Devido à falta de recursos monetários o projecto foi posteriormente abandonado, deixando para trás um colosso nuclear. As imagens foram captadas pelo engenheiro da Amazon, Braden Roseborough.

Os drones estão associados a utilizações militares, como o transporte de material explosivo ou de outras materiais letais. Mas na realidade a sua utilização é muito mais ampla, e torna-se completamente díspar do seu propósito “primário”.

Ao munir-mos um drone com uma câmara o resultado pode ser absolutamente formidável. Conseguimos perceber-lhes aqui um propósito diferente. Porque não utilizá-los como meio de explorar aquilo que não está acessível a todos, para que possamos conhecer muito daquilo que o mundo já esqueceu.