Está fechado o cartaz do Milhões de Festa 2015


Este artigo é gratuito como todos os artigos no Shifter.
Se consideras apoiar o nosso trabalho, contribui aqui.

A Vodafone FM regressa como rádio oficial e patrocinadora de um dos palcos principais do Milhões, cujo cartaz fica encerrado com Anthroprophh, projecto de Paul Allen dos míticos The Heads, à cabeça das novas confirmações. O festival decorre entre os dias 23 e 26 de Julho no Parque Fluvial de Barcelos.

O Milhões de Festa, que já havia confirmado as actuações de Deerhoof, Michael Rother (NEU!, Harmonia), The Bug, Peaking Lights, THEESatisfaction e All We Are, entre tantas outras, regressa ao Parque Fluvial de Barcelos, entre os dias 23 e 26 de Julho, com o apoio da rádio Vodafone FM, que assume os papéis de rádio oficial do festival e patrocinadora do palco Vodafone FM.

A rádio transmitirá conteúdos dedicados e exclusivos do Milhões de Festa e assegurará a transmissão das actuações mais emblemáticas do alinhamento, que fica encerrado com a confirmação de Anthroprophh, Meridian Brothers, Happy Meals, Basic House, Al Doum & The Faryds, Riding Pânico, HHY & the Macumbas, Solution, Salvador & Las Putas, TAO e Anthony Chalmers (Baba Yaga’s Hut).

Os Anthroprophh são a continuação natural da exploração sónica e ritualística iniciada pelo músico de Bristol Paul Allen nos míticos The Heads. Allen virá ao Milhões acompanhado pelos conterrâneos The Big Naturals para apresentar o mais recente Outside The Circle que os levou a palcos de toda a Europa, com destaque à passagem dos britânicos no Roadburn Festival 2015. Também confirmada está a cumbia mais tradicionalista adaptada ao século XXI dos colombianos Meridian Brothers, assim como a pop delicada dos escoceses Happy Meals e o techno do fundador da Opal Tapes, o britânico Stephen Bishop, que apresentará um set live com o seu projecto Basic House. Vindos de Itália, Al Doum & The Faryds vão desenterrar as ancestrais raízes africanas da Europa numa performance deliciosa para as sinapses.

Os HHY & the Macumbas regressam ao cartaz com o seu choque de electrónica com ensemble tribal para um dos momentos de transe mais intensos do festival. Também de Portugal vem a electrónica de Solution, o rock sujo dos Salvador & Las Putas e a experimentação de TAO. Os Riding Pânico confirmam a já esperada oitava passagem consecutiva pelo Milhões de Festa e Anthony Chalmers, da Baba Yaga’s Hut, assegurará uma hora de festa no palco Taina.

Anthroprophh

Na senda da exploração sónica inconfundível dos The Heads vêm os Anthroprophh – uma continuidade assegurada pelo próprio Paul Allen, ao qual se juntaram os conterrâneos de Bristol Gareth Turner e Jesse Webb, aka The Big Naturals. O resultado, uma mítica e profana exploração da ritualística humana, tem o selo de aprovação da Rocket Recordings, que editou o mais recente longa-duração, Outside the Circle.

Meridian Brothers

A geografia pouco dirá dos Meridian Brothers: sabemos que foi em Bogotá, capital da Colombia, que Eblis Álvarez criou o projecto, com influências do rock argentino, para o qual, mais tarde, traria a linguagem tradicional da América Latina, da salsa à cumba, para um registo que aprimoraria na sua incursão académica na Dinamarca. Concluamos, então, o óbvio: Meridianos há em todo o mundo e os Meridian Brothers encarnam-nos em clima de festa, de indução tropicaliente. Preparem o vosso ayahuasca!

Happy Meals

Quando se fala em álbum escocês do ano, Happy Meals não será a banda a saltar à vista à primeira, mas a verdade é que constam da lista de finalistas para o galardão com o EP de estreia Apéro. O seu percurso está definido e é apenas uma questão de estarmos no checkpoints para assistirmos à sua primeira passagem por Portugal: o duo, onde figura Lewis Cook dos Cosmic Dead e a vocalista S. Rodden, eleva a pop sintética ao estado de relaxamento ideal, onde a sensualidade desafia a letargia.

Riding Pânico

Não sabemos bem o que é mais obsoleto: re-apresentar os Riding Pânico, que têm vindo a tocar no Milhões desde a primeiríssima edição, ou arranjar novas palavras para os descrever. Verdade seja dita: a banda de post-rock lisboeta, nome charneira do género em Portugal, não defraudou ninguém em oito anos de Milhões de Festa. Não vai ser agora.

Basic House

Stephen Bishop é o vocalista e primeira impressão que tiraremos dos Drunk in Hell, pelo que vos fazemos um spoiler para a madruga que se seguirá: o britânico subirá de novo ao palco para actuar enquanto Basic House, a sua faceta de música electrónica que o colocou na frente da reconhecida editora Opal Tapes. Esperem batidas sincopadas em que a textura serve de mote para melodias fantasmagóricas. Vai ser um set de dançar e chorar por mais.

HHY & The Macumbas

Jonathan Uliel Saldanha, aka HHY, é um segredo demasiado bem guardado; um segredo que pretendemos, uma vez mais, revelar: com The Macumbas, HHY engendrou uma experiência única e transcendental na tensão entre as texturas da electrónica e descarga energética do ensemble de sopros e percussão. Uma verdadeira macumba, que atinge corpo e mente em igual e estrategicamente delineada medida.

Al Doum & The Faryds

Na edição passada, o Milhões teve o primeiro encontro em 3º grau com a psicadélia oculta italiana, via Lay LLamas, uma cena musical caracterizada não pela repetição de fórmulas, mas pelo objectivo comum de elevar corpos para lá do secular. Levantando um pouco o véu sobre Al Doum e os seus Faryds, vemos um encontro extasiante entre a catadupa rítmica africana e as extravagâncias melódicas europeias dos sopros. Itália promete mais uma experiência terrena de sensações miraculosas.

Solution

Solution é Tiago Carneiro, o mais bem guardado segredo da electrónica portuguesa. Até agora, pelo menos, porque estamos cheios de vontade de meter a boca no trombone: co-fundador da Terrain Ahead, Solution converge na sua música influências que se distribuem pelo Techno, pelo House e, claro, pelo negrume em contra-tempo do Dubstep londrino. O portuense tem a retórica e, agora, a tribuna; resta-nos ouvi-lo.

Anthony Chalmers

Das mãos da Baba Yaga, que nos trazem os britânicos Cosmic Dead, Hey Colossus e Gum Takes Tooth, vem também um DJ set que promete não prometer nada. Explicando: Anthony Chalmers, promotor londrino e radialista na NTS live e na Ressonance, raramente não surpreende com as suas escolhas, ilimitadas em género ou proveniência — e o seu DJ set não deverá ser menos arrebatador.

Mais um Milhões e, com ele, mais curadorias

À parceria previamente anunciada, com cunho da Baba Yaga’s Hut (UK), acrescem agora os contributos da SWR (PT), do festival MonkeyWeek (ESP) e da Favela Discos (PT). As curadorias no Milhões de Festa são um formato vencedor, votado à continuação. Depois de apostas ganhas no passado, com concertos de Comet is Coming, Flamingods, Baoba Stereo Club, Guerrera e Utopium, para mencionar alguns, a marcarem as memórias dos milhionários nas edições passadas do festival, 2015 traz mais contribuições dos nossos parceiros de sempre, e de alguns novos.

Já anunciada havia sido a curadoria assinada pela Baba Yaga’s Hut, que leva, directamente do Reino Unido, The Cosmic Dead, Hey Colossus e Gum Takes Tooth até às margens do Cávado. A eles juntam-se os repetentes SWR, que, em mais um ano, agendou actuações para o palco Taina, a saber: os pesos pesados do grindcore brasileiro, D.E.R. e Test, e os portugueses Wanderer e Raw Decimating Brutality.

De Espanha, também um repetente na programação do Milhões de Festa, vem o condão do MonkeyWeek festival, através do post-punk industrializado dos Suomo. A eles juntam-se os esforços da Favela Discos, badalados agitadores portuenses, que levarão até Barcelos o Blitzgig, com actuações de Batsaykhantüül, Bezbog, Asfalto, Vive les Cones e Milteto.

Test

Paulistas de gema, os grinders Test puseram à prova as convenções performativas da música e levaram as suas actuações para o passeio da rua de concertos metal. Do outro lado da rua, estaria a explosão ruidosa dos Test, rápidos, sujos e com um modus operandi verdadeiramente punk a representar a cereja no topo do bolo. De forma mais oficial, trazemos o duo até Barcelos e para cima de um palco. Isto, sim, é especial.

D.E.R.

No activo desde 1997, os D.E.R. estão para o grindcore no Brasil como o Milhões para as piscinas em eventos sem a MTV. Andam por aí há tempo suficiente para saber como se comportar e, melhor, para saber como ajavardar o seu grind à séria. O quarteto soa rápido, violento e a algo muito pesado. É o que se pode esperar da SWR e da sua curadoria (deus os livre e guarde).

Raw Decimating Brutality

Não se pode falar de grind em Portugal sem se falar nos Raw Decimating Brutality. São os primeiros e verdadeiros RDB a surgir na cultura (ou bandalheira) portuguesa, e merecem numerosos e variados créditos por isso. Fora isso, preparem-se para os seguintes conceitos-chave das suas actuações: velocidade, estupidez de velocidade, grotesco, horroso. Vai ser brutal e leva o selo de qualidade SWR.

Wanderer

Em todas as casas, há aquele casaco de cabedal que vocês sabem ser cool o suficiente para usar, mas que sem contexto é só parvo. No concerto dos Wanderer, não será parvo, mas, sim, um requisito. Heavy Metal à moda antiga, a beber da fonte amaldiçoada que saciava as mentes dos Iron Maiden e dos Judas Priest, e a canalizar a derradeira atitude dos guerreiros de aço.

Suomo

Com o cunho do festival MonkeyWeek, que oficializa, assim, a curadoria no Milhões de Festa pela terceira edição consecutiva, vêm os espanhóis Suomo. O trio sintetiza as batidas pop num registo industrial e post-punk, explorando cada momento de progressão das duas drumboxes com o negrume dos 80s e a parede de som do agora.

Favela Discos apresenta Blitzgig

A Favela Discos começou por tomar um condomínio, e depois o Porto. O próximo passo será o mundo, por meio de uma ebriedade contagiante e que, surpreendentemente, não provoca dormência. Entre tudo o que de mais sério possam fazer, haverá sempre o humor e a falta de seriedade com que tão profissionalmente encaram as diversas formas de arte que assinam e que justificaram algumas das festas mais rijas da Invicta. Ao Milhões, levam um Blitzgig com Batsaykhantüül, Bezbog, Asfalto, Vive Les Cones e Milteto.

Investimos diariamente em artigos como este.
Precisamos do teu investimento para poder continuar.