5 filmes para veres a 2,50 euros no cinema

Trata-se da primeira edição da Festa do Cinema, uma iniciativa dos distribuidores e exibidores cinematográficos portugueses, que pretende levar mais de 200 mil pessoas às salas.

De hoje a quarta, o cinema custa 2,50 euros em todas as salas do país. Trata-se da primeira edição da Festa do Cinema, uma iniciativa dos distribuidores e exibidores cinematográficos portugueses, que pretende levar mais de 200 mil pessoas às salas.

O Shifter percorreu os cartazes dos cinemas e dá-te 5 sugestões para aproveitares esta quase “borla”. Na verdade, 2,50 euros é praticamente um terço do preço dos bilhetes, que custa hoje mais de 6 euros na maioria das salas – um preço que está a colocar as salas portuguesas cada vez mais vazias.

Segundo dados do Instituto do Cinema e Audiovisual, Portugal registou em 2014 os piores valores de consumo de cinema em sala desde 2004, com 12 milhões de espectadores e 62,7 milhões de euros de receita de bilheteira. Em 2014, cada sessão de cinema contou, em média, com 20 espectadores.

Capitão Falcão – João Leitão

Em exibição: Cinemas NOS

O Capitão Falcão (Gonçalo Waddington) é um super-herói português e o maior defensor do nosso antigo ditador António de Oliveira Salazar (José Pinto). O filme conta-nos as peripécias desta personagem cómica, com o seu Puto Perdiz (David Chan Cordeiro), para defender Portugal das franjas da esquerda. Não percas esta oportunidade de ir ver Capitão Falcão ao cinema a um preço irrisório e de rir às gargalhadas com os comuninjas que tentam mandar abaixo o regime.

Podes ler a review na íntegra do filme aqui.

Le Sel de la Terre – Wim Wenders e Juliano Ribeiro Salgado

Em exibição: Medeia Filmes / Cinema IDEAL

A vida e o trabalho do fotógrafo brasileiro Sebastião Salgado são-nos revelados pelo filho, Juliano, que o acompanhou nas suas últimas viagens, e por Wim Wenders, cineasta alemão e também ele fotógrafo, no documentário Le Sel de la Terre.

Sebastião Salgado viajou, nos últimos 40 anos, por todos os continentes, nas pegadas de uma humanidade sempre em mutação: testemunhou conflitos internacionais, fome e a fuga de várias populações. Imagens humanas extremamente dramáticas, a que todos deveriam ser expostos e que fazem de Le Sel de la Terre um documentário que não deixa ninguém indiferente. Sebastião embarcou recentemente numa viagem à descoberta dos territórios virgens, fauna e flora, das paisagens grandiosas num enorme projecto fotográfico que presta tributo à beleza do planeta.

A exposição de fotografia Génesis de Sebastião Salgado, que este documentário também retrata está em Lisboa de 10 de Abril a 2 de Agosto. São 245 fotografias a preto e branco, de grande formato, captadas entre 2004 e 2011 nos lugares mais recônditos e desconhecidos da Terra. A exposição está patente na Galeria do Torreão Nascente da Cordoaria Nacional.

Ex Machina – Alex Garland

Em exibição: Cinemas NOS

Desde a invenção do primeiro processador que nós, humanos, tentamos criar algo apenas existente na nossa cabeça: inteligência. Aquilo que nos diferencia de todos os seres deste planeta. O próprio desejo de reproduzir o que nos distingue e nos torna prevalecentes é perturbador, mas a necessidade de nos igualarmos às nossas próprias criações é imperativa. Em Ex Machina, somos confrontados com o sucesso desta epopeia que julgamos impossível. Contactamos com os perigos e dúvidas de um cenário onde deixamos de estar em controlo do que nos rodeia e, pela primeira vez, sentimo-nos controlados por algo descontrolado.

No filme, Caleb (Domhnall Gleeson), um jovem programador na maior empresa de internet do mundo, vence um concurso para passar uma semana no refúgio de montanha de Nathan (Oscar Isaac), o CEO da empresa. Quando Caleb chega ao local, descobre que terá de participar numa experiência estranha e fascinante em que deverá interagir com a primeira verdadeira inteligência artificial do mundo, incorporada no corpo de uma bonita rapariga robot, Ava (Alicia Vikander).

Eden – Mia Hansen-Løve

Em exibição: Medeia Filmes

A actriz Mia Hansen-Løve iniciou o seu percurso como realizadora e argumentista em 2004/05 com duas curtas, às quais se seguiu, em 2007, Tout Est Pardonné, a sua primeira longa metragem, que lhe deu o prémio Louis Delluc para Melhor Primeiro Filme. Em 2009, The Father of My Children venceu o prémio Especial do Júri Un Certain Regard no Festival de Cannes. Dois anos depois, Goodbye First Love estreia-se em competição no Festival do Locarno, onde vence a Menção Especial do Júri.

Eden é o mais recente trabalho de Mia Hansen-Løve. O filme leva-nos até à Paris da dourada década de 1990, onde viveram os Daft Punk. Mas Eden não fala sobre a dupla Guy-Manuel de Homem-Christo e Thomas Bangalter. Conta, antes, a história de Paul (Félix de Givry) que dá com o seu melhor amigo os primeiros passos no “french house” ou “french touch”, a nova cena nocturna da capital francesa. Juntos são a dupla de DJ Cheers, encontram rapidamente o seu público e conhecem uma ascensão vertiginosa, eufórica, perigosa e efémera. Envolvido por esta paixão, Paul esquece-se de construir uma vida.

Estreado em 2014, Eden foi exibido este ano no festival IndieLisboa, antes de saltar para as salas de cinema. Está em exibição, por exemplo, no Cinema Monumental da Medeia Filmes.

Phoenix – Christian Petzold

Em exibição: Medeia Filmes

Phoenix conta a história de uma sobrevivente de um campo de concentração que ficou desfigurada. Na Alemanha de 1945 e depois de uma cirurgia de reconstrução facial, Nelly Lenz (Nina Hoss) procura o seu marido e quando finalmente o encontra, este não a reconhece. Johnny (Ronald Zehrfeld) acredita que a mulher está morta e propõe a Nelly que, já que se parece com a sua mulher, o ajude a reclamar a fortuna que lhe deixou. Nelly torna-se a sua prórpria doppelgänger (sósia) enquanto tenta reaver a sua vida e descobrir o que aconteceu durante o tempo que esteve em cativeiro. É que, no meio da trama amorosa, Nelly desconfia que foi o marido quem a denunciou às autoridades alemãs.

O filme é do realizador alemão Christian Petzold e a adaptação cinematográfica da obra Le Retour des Cendres. Ganhou o Prémio da Crítica Internacional no Festival de San Sebastián, no País Basco, e o Prémio Especial do Júri – João Bénard da Costa no Lisbon & Estoril MEO Film Festival e é um exclusivo da Medeia Filmes: está em cena no Cinema Fonte Nova e no Cinema Monumental, ambos em Lisboa.

(Alexandre Couto, João Miguel Dordio, João Ribeiro, Mário Rui André, Rita Pinto e Rui André escreveram este artigo)

O Shifter é gratuito e sempre será. Mas, se gostas do que fazemos, podes dar aqui o teu contributo.