5 filmes vencedores da Palme d’Or em Cannes


O Festival de Cannes 2015 já arrancou e vai decorrer até dia 24 de Maio. O festival destaca anualmente filmes de novos realizadores e de grandes nomes do cinema contemporâneo. Entre as obras mais esperadas na edição deste ano estão: Irrational Man, a nova longa-metragem de Woody Allen, que conta com os actores Emma Stone e Joaquin Phoenix, Love do irreverente Gaspar Noé, Flashmob de Michael Haneke, As 1001 noites, do realizador português Miguel Gomes e The Sea of Trees, o novo filme do cineasta Gus Van Sant.

A Palme d’Or, o prémio de maior prestígio do evento, é entregue desde 1955. A escolha é feita por um júri composto por profissionais ligados à sétima arte. Neste ano, o júri é presidido pelos irmãos Joel e Ethan Coen e conta ainda, entre outros nomes, com Guillermo del Toro e Xavier Dolan.

No início de uma nova edição do F, reunimos uma pequena lista de 5 filmes que já arrecadaram a tão desejada Palme d’Or noutras edições.

1) Pulp Fiction, de Quentin Tarantino (1994)

Tendo também vencido o Óscar da Academia para Melhor Argumento Original bem como o Globo de Ouro para Melhor Argumento e a Palma D’Ouro do Festival de Cannes para Melhor Filme, Pulp Fiction combina na perfeição acção explosiva e humor perverso em três histórias interligadas que seguem as desventuras de dois assassinos baratos, John Travolta e Samuel L. Jackson, a insinuante mulher do patrão, Uma Thurman, e de um desesperado boxeur que se encontra em fuga, interpretado por Bruce Willis.

2) Elephant, de Gus Van Sant (2003)

Baseado parcialmente no massacre do Liceu Columbine, o realizador Gus Van Sant apresenta-nos Elephant cuja a acção se desenrola num dia, aparentemente, normal num liceu norte-americano. Seguimos, ao longo do filme, vários alunos nas suas actividades diárias, entre salas de aula, corredores, refeitório, biblioteca, balneários, gabinetes administrativos. Para cada um deles, o liceu é uma experiência diferente: amigável, traumática, estimulante ou solitária.

3) The Tree of Life, de Terrence Malick (2011)

A quinta longa-metragem do aclamado cineasta Terrence Malick acompanha a existência de Jack, interpretado pelo actor Hunter McCracken enquanto jovem; por Sean Penn em adulto, desde o seu nascimento, nos anos 50, até à idade adulta. Da perda da inocência ao cinismo de um homem maduro que é parte da civilização pós-moderna. Jack, o mais velho de três irmãos, cresce dividido entre duas visões divergentes da realidade: a autoridade de um pai, ambicioso e descrente, Brad Pitt, com quem vive em perpétuo conflito, e a generosidade e candura de uma mãe, Jessica Chastain, que lhe dá conforto e segurança. Até que um trágico acontecimento vem perturbar o já de si frágil equilíbrio familiar…

4) Amour, de Michael Haneke (2012)

Georges e Anne, interpretados por Jean-Louis Trintignant e Emmanuelle Riva respectivamente, são ex-professores de música erudita e já passaram dos 80 anos. A filha, que tem a mesma profissão, vive fora do país com o marido. Um dia, Anne é vítima de um acidente e o amor que une este casal é posto à prova.

5) La Vie d’Adèle, de Abdellatif Kechiche (2013)

Aos 15 anos, Adèle, personagem interpretada por Adèle Exarchopoulos, nem sequer questiona este facto: uma rapariga namora com rapazes. A vida da jovem vai dar uma volta quando conhece Emma, Léa Seydoux, uma rapariga jovem e de cabelo azul, que lhe vai permitir descobrir o desejo e afirmar-se como mulher, e como adulta. Adèle cresce, procura-se a si mesma, perde-se e, eventualmente, reencontra-se…

Além de Miguel Gomes, no Festival de Cinema de Cannes constam ainda mais dois nomes portugueses, são eles: Manoel de Oliveira com o filme biográfico Visita ou memórias e confissões e Susana Nobre com a curta-metragem Provas, Exorcismos.  Nenhuma das três obras estará em competição. O filme de Manoel de Oliveira será mostrado em forma de tributo, enquanto que Miguel Gomes e Susana Nobre apresentam as suas obras na Quinzena dos Realizadores.